TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Fala Sério! • 24 de julho de 2013 • 11h03

Para ser feliz...

Por: A.J. Rettenmaier

Basta uma receita simples. Sem complicações. Mas difícil de aplicar. Justamente por ser tão simples. E que nós, só sabemos complicar.

A felicidade está e sempre esteve dentro de nós. E dali não sai. Muitas vezes, como não a alimentamos, também nos esquecemos de sua presença. E então... Bem... Então pensamos em que ela não existe, ou não gosta de nós. Mas jamais imaginamos que para exigir dos outros, também precisamos, dar.

Como somos egoístas, pensamos que não desculpar os erros dos outros, fará com que sejam menos felizes. Mas e será que nós seremos mais por isso?  Porque na maioria das vezes pensamos somente na nossa, não percebemos de que ela depende da dos outros. Por não olharmos com carinho a nossa, esquecemo-nos de dar um pouco aos outros. Por sermos tão materialistas talvez. Egoístas ainda mais. Ou só sabermos rezar o “venha a nós.” “Ao vosso reino,” nada.

E qual a receita? Esta pergunta deve ter vindo as suas cabeças agora. A resposta também está dentro de nós. Mas sempre colocamos na imagem dela o medo. Do que venham nos cobrar. Temos medo de dizer. Temos medo de falar. Mostrar. Demonstrar. Fazer. E a falta de coragem de assumir, de dar, perdoar, amar, acarinhar quando os outros precisam, faz o bolo desandar. Ele não cresce. Porque nunca separamos a primeira da segunda emoção. Aliás, nem deixamos acontecer à segunda. Talvez porque traga a razão. De tudo!

Ela seria sim. A receita. Simples. Mas... Para que complicar? Bastamo-nos! Fingimo-nos felizes! E como é bom vender essa imagem! Temos certeza de que todos acreditam nela. Embora saibamos que a felicidade está dentro de nós. Com uma receita simples. Mas... Que temos medo de usar. Também... Para que? Bastamos-nos.

Para ser... Feliz...?

Antonio Jorge Rettenmaier, Cronista, Escritor e Palestrante. Esta crônica está em mais de noventa jornais impressos e eletrônicos no Brasil e exterior.



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário