TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Londrina • 07 de dezembro de 2017 • 10h11

Reforma da Previdência não pode passar", afirmam sindicalistas

Trabalhadores de várias categorias participaram na terça-feira, 5, no Calçadão,  de um  Ato Público Contra a Reforma da Previdência. O evento, promovido pelo Coletivo de Sindicatos de Londrina fez parte dos protestos realizados em todo paíss e contou com a presença de centenas de pessoas.

Portando faixas e palavras de ordem, os sindicalistas e rpresentantes de movimentos sociais se revezaram nos discursos contra o governo Temer que já anunciou sua intenção de aprovar a reforma da previdencia ainda este ano. Entre as principais bandeiras de luta dos sindicalistas estão: a idade para se aposentar , que para homens  será de 65 anos e mulheres 62; o aumento no tempo de contribuição; a insistencia  Desvinulação das Receitas da União - DRU, onde o governo cria um falso déficit na previdencia; o perdão das dívidas de bancos e grandes empresas  que devem milhões ao INSS, entre outros.

" O que fazer com um governo que quer tirar os direitos conquistados há anos pelos trabalhadores e que não comenta sobre os lucos absurdos do sistema financeiro que arrecada bilhões e deve milhões para a previdência. Um governo que mente ao  ir para tv dizer que existe um déficit na previdência e que o culpado é povo. Não tem como aceitar, temos de lutar ou iremos trabalhar até morrer. Esta reforma não pode passar,", declarou Sandro Runkhe, presidenre do Sindicato dos Eletricitários de Londrina.

Durante o evento, os sindicalistas  lembraram dos deputados do Paraná que estão se vendendo para o governo e sendo contra os trabalhadores. " O ano que vem teremos  eleições e  não vamos esquecer dos deputados de Londrina e região que tem votado contra o povo. Não vamos perdoar e nossa campanha será ferrenha para que eles não se elegiam mais", disse o presidente da APP Sindicato Marcio Ribeiro.

Por voltas das 11h os manifestantes saíram em passeata até a agencia do INSS no centro da cidade, que não realizou atendimento durante todo o dia em protesto contra o governo Temer. No local  continuaram as manifestações. " Os servidores públicos assim como os demais trabalhadores do Brasil serão muito prejudicados com esta reforma, por isso estamos conclamando povo para vir para ruas protestar contra este governo golpista e ilegitimo" , enfatizou o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal - Sindprevs.

Na ultima semana, membros do Coletivo de Sindicatos estiveram reunidos com o arcebispo de Londrina, Dom Geremias Steinmetz  que informou se contra a reforma da previdência e se comprometeu em escrever uma nota orientado os padres de Londrina para falar sobre os prejuízos da reforma, caso venha ser aprovada.

Elsa Caldeira/Asimp



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário