TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Artigos e Opinião • 16 de abril de 2018 • 11h34

As aparências enganam e destroem

É muito comum sermos enganados pelas aparências. A leitura do livro de Josué, capítulo 9, mostra o estratagema do povo de Gibeão sobre Josué, sucessor de Moisés, que movido pelas aparências de uma situação inteligentemente encenada, resolveu fazer aliança com um povo que desconhecia.

 

Josué fez aliança sem consultar Deus, e apenas três dias depois, percebeu que fora enganado. Mas a aliança estava selada, e consistia essencialmente em poupar a vida dos gibeonitas, porém, Josué ficou irritado com o engano e fez dos habitantes da cidade de Gibeão, escravos do povo judeu, que em grande número avançava sobre os povos que viviam na terra prometida.

 

Os gibeonitas tornaram-se rachadores de lenha e tiradores de água para a congregação de judeus e para o altar do Senhor. E estavam satisfeitos, afinal, suas vidas foram poupadas.

 

No livro de 2ª Samuel, capítulo 21, cerca de 320 anos após a aliança de Josué com os gibeonitas, estes se vingam do povo judeu. Veja como:

Nessa época, o rei Davi era o líder dos judeus, cujo povo, há três anos consecutivos perecia de fome na terra de Canaã. E Davi não entendia o que se passava, então, finalmente resolveu arguir Deus.

 

E Deus lhe disse: “Há culpa de sangue sobre Saul e sobre sua casa porque ele matou os gibeonitas.”

 

Saul antecedera o rei Davi, e quebrou a aliança de Josué. E Davi, percebendo o ato falho, a quebra da aliança, imediatamente chamou os gibeonitas, que exigiram como reparação, a morte de sete homens da descendência de Saul. Eles não queriam nem ouro nem prata, queriam a vida de descendentes do homem que quebrara aliança, que enganara.

 

E o rei Davi sem alternativa assentiu, e os sete homens da casa de Saul foram enforcados, e depois disso, Deus se tornou favorável para com aterra do povo judeu e a fome finalmente cessou.

 

Transportando estes fatos bíblicos para o tempo que vivemos, nós também vivemos situações de fome e penúria, sem que haja culpa de nossa parte, porém, mesmo que não tenhamos culpa, temos responsabilidade pela situação que vivenciamos.

Quando as coisas dão errado, e os cenários nos afligem, precisamos arguir Deus, arguir nossa cobertura espiritual, e sermos claros; “Enfrento tal situação e estou atribulado e sofrendo. O que está acontecendo, afinal. Pode me auxiliar, por favor?”

Consulte a Deus tão logo surja dificuldade. Não espere três longos anos como fez o rei Davi, porque a procrastinação atrasará a sua benção, e claro, prolongará o seu sofrimento.

 

As aparências enganam e destroem. E nosso país vive um momento extraordinariamente difícil porque fomos enganados pelas aparências. A população brasileira foi enganada por Luiz Inácio que chegou ao poder porque prometeu ética e decência e honestidade.

 

Sua sucessora, Dilma Rousseff, idem ibidem, entretanto, nesses treze anos, quatro meses e pico, o governo federal encurralou os brasileiros numa verdadeira sinuca de bico, numa sinecura de lascar, e muitos, sem aquilatar que a culpa é nossa, (e mesmo que não seja nossa, porque não votamos nem em Lulla, nem em Dilma), a responsabilidade é toda nossa e temos que arcar com o ônus dessa responsabilidade.

 

Porém, não há mal que dure para sempre, e após tanta balbúrdia, tanta sandice e tanta iniquidade, eis que surge réstia de luz no final do túnel, isto é, Dilma será sumariamente defenestrada neste dia 11 de maio, e Luiz Inácio deverá ser preso no dia 13 de maio, porque Sergio Moro já está suficientemente alicerçado para a promulgação da prisão de nosso mentiroso maior.

 

Enfim, seremos libertos da perniciosa e intragável dupla Lulla e Dilma.

É o fim de um ciclo que tornou o país uma terra arrasada. É um ciclo onde TODOS os contratos de obras com o governo estavam açodados com a imoralidade, a ganância e a corrupção.

E ouço agora, para referendar o que escrevo,que o juiz Moro assinou acordo de leniência com a Andrade Gutierrez, no valor de um bilhão de reais. E ouço que esta gigantesca empresa pagará esta multa, edesculpas ao povo brasileiro, pede desculpas a sociedade e manifesta o desejo de contribuir para acabar com esta corrupção que grassa e contamina nossas instituições e pessoas de todas as esferas de poder. Ouço extasiado, e vejo que o Brasil está concluindo um período de trevas para iniciar uma nova etapa, uma nova era.

 

O Brasil começa a dar sinais que é um país que dará certo. O que precisamos fazer é escolher as pessoas certas para dirigir esta nação.

 

E eles, os petistas, esbravejam e prometem que farão o diabo para não sair de cena.

 

Está bem, vamos aguardar os acontecimentos, e eu compreendo a insanidade desta dupla vil e mentalmente doente, por isso oro por uma mudança de comando tranquila e pacífica. Sei que nossas forças armadas estão vigilantes e atentas, e estes homens tem o dever cívico de garantir a democracia e o cumprimento de nossas leis.

 

E sei que Deus está do nosso lado. Ele é soberano, tudo comanda e nunca abandona aliados. ALELUIA!

 

João Antonio Pagliosa - www.palestrantejoaopagliosa.blogspot.com.br

joaoantoniopagliosa@gmail.com



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário