Crawler Detect

Sanepar faz parcerias em Campo Mourão e Londrina para ações ambientais
TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Meio Ambiente • 11 de julho de 2018 • 09h19

Sanepar faz parcerias em Campo Mourão e Londrina para ações ambientais

Nas duas cidades, atividades feitas em conjunto visam a melhoria da qualidade dos recursos hídricos

 

Em parceria com as prefeituras e a comunidade, a Sanepar promoveu ações ambientais que visam a preservação dos recursos hídricos em Campo Mourão e em Londrina. Às margens do Rio do Campo, responsável por 70% da produção de água distribuída para a população de Campo Mourão, representantes da Sanepar, da prefeitura, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e da Associação dos Moradores dos Jardins Araucária, Botânico e Casali percorreram cerca de 5 km para limpar as margens do rio. Durante a limpeza foram retirados cerca de 600 kg de lixo, entre carcaças de televisores, sofás velhos, latas de tintas, pneus e diversos tipos de entulhos.

 

Para o gerente regional da Sanepar em Campo Mourão, José Carlos Barboni, ações como esta reduzem os impactos causados pelo lixo no manancial. “Este trabalho, feito em parceria, desperta a consciência ambiental dos participantes e da própria comunidade sobre a importância da preservação e da proteção do Rio do Campo.”

 

Em Londrina, a ação foi feita às margens do Córrego Água Fresca, que foi o primeiro manancial de abastecimento público da cidade. Participaram cerca de 150 pessoas da Sanepar, Prefeitura, Escola Estadual Maria do Rosário Castaldi, Universidade Estadual de Londrina, Centro Universitário Unifil, Vigilância Sanitária, Companhia Municipal de Trânsito e Urbanismo (CMTU), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Programa Vigiágua.

 

As atividades começaram a partir da nascente, no fundo da Estação de Tratamento de Água Cafezal, e foram até a foz no Lago Igapó. Divididos em grupos, os participantes fizeram caminhada de reconhecimento da área, com conversas educativas, entrega de material para sensibilização dos moradores das proximidades, orientação de combate à dengue e a outras doenças endêmicas, recolhimento de resíduos sólidos poluentes e potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti, análise química da água do rio e vistorias de ligações de esgoto nos imóveis da bacia.

 

Embora tenham sido coletadas 3 caçambas de lixo, a agente de educação socioambiental da Sanepar Andréa Fontes afirma que houve uma redução na quantidade de lixo em relação a um trabalho semelhante feito em 2017. “Isso é reflexo das ações de sensibilização feitas anteriormente sobre a importância da destinação correta do lixo”, disse.

 

O mesmo ocorreu em relação à qualidade do Água Fresca. Duas equipes da Sanepar coletaram amostras de água perto da nascente e da foz do córrego para análises de OD (oxigênio dissolvido), pH e turbidez. Nos dois pontos, os resultados foram satisfatórios. “Até nos surpreenderam. Devido à degradação da nascente, esperávamos que o córrego estivesse mais poluído. Na foz, também houve melhora significativa na qualidade da água, com uma maior oxigenação”, afirma a coordenadora de Avaliação de Conformidades da Sanepar em Londrina, Mirian Raquel Bassetti.

 

Segundo a coordenadora de Produção de Água da Sanepar em Londrina, Rosimére de Castro, a educação socioambiental e as orientações decorrentes das vistorias das ligações de esgoto feitas na bacia têm impacto direto na qualidade da água dos rios. “Ações conjuntas como esta são fundamentais para melhorarmos nossos rios, o meio ambiente e, como consequência, a vida de todos na cidade”, afirma.

Carina Paccola/Asimp

Clique nas fotos para ampliar

Mirian Bassetti faz coleta da água para análise
Equipe que coletou resíduos às margens do Rio do Campo
Lixo coletado às margens do rio em Campo Mourão


Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário