TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Londrina • 10 de outubro de 2018 • 09h45

Comissão do Provopar conclui fase de depoimentos

Após relato de ex-presidente da entidade, vereadores devem iniciar ainda esta semana a redação do relatório final que será entregue até o final do mês

 

Reunida na segunda-feira (8) a Comissão Especial (CE) de Acompanhamento da Prestação de Contas do Programa do Voluntariado Paranaense de Londrina (Provopar-Ld) concluiu a fase de oitivas com o depoimento da ex-presidente da entidade, Ivanira Carraro. Ainda esta semana os vereadores Vilson Bittencourt (PSB), Valdir dos Metalúrgicos (SD) e Tio Douglas (PTB), que integram a CE, devem reunir-se novamente para definições referentes ao relatório final. O documento será preparado pelo relator do grupo, vereador Valdir dos Metalúrgicos, e deverá ser protocolado na Câmara até o dia 27 de outubro.

 

De acordo com o Regimento Interno do Legislativo (Resolução nº 106/2014) as comissões especiais devem apresentar prazo determinado para conclusão dos trabalhos no ato da sua constituição, que pode ser prorrogado por até metade deste período. No caso da CE do Provopar o prazo definido foi de 120 dias e não deverá ser acrescido de mais tempo. “Todas as pessoas que ouvimos relataram praticamente os mesmos problemas, portanto já temos elementos para começar a preparar o relatório”, informou o presidente do grupo, vereador Vilson Bittencourt.

 

Alerta

 

O parlamentar explicou que no depoimento mais uma vez ficou evidente que houve má gestão dos recursos repassados ao Provopar por meio de convênios. “Ao que nos parece houve negligências que só fizeram aumentar as dívidas. A ex-presidente ouvida nesta manhã relatou, inclusive, que no breve período em que ocupou o cargo (cerca de três meses) alertou o Executivo para a gravidade do problema, por meio de um relatório de atividades que já mencionava a situação de insolvência.”

 

As falhas detectadas pela Controladoria Geral do Município na prestação de contas do Provopar referem-se aos anos de 2016 e 2017, o que levou, este ano, ao cancelamento dos cinco convênios até então mantidos entre a entidade e a Prefeitura. Em junho a Câmara de Vereadores aprovou a criação da Comissão Especial para apurar a origem da crise, e ao todo oito pessoas foram convidadas a prestar esclarecimentos, entre servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social, ex-funcionários e atuais representantes do Provopar.

Silvana Leão/Asimp



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário