TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Londrina • 14 de novembro de 2018 • 08h46

Programa Londrina Mais chama a comunidade para debater plano de ação

O objetivo é tornar a cidade uma referência em desenvolvimento sustentável; iniciativa envolve diversos segmentos da sociedade

 

A Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Londrina Mais, está iniciando as discussões públicas e intensificando reuniões e tratativas referentes ao processo de arranjo institucional que regulamentará e norteará o gerenciamento das ações. A iniciativa propõe a implantação de estratégias para a construção de um modelo de gestão descentralizada e compartilhada, com a subdivisão da cidade em 300 áreas administrativas e gerenciais, e ampla participação da comunidade. O programa é desenvolvido em parceria com a Organização da Sociedade Civil (OSC) Patrulha das Águas Sustentabilidade.

 

Para estimular a participação popular, a Prefeitura reforça o convite a instituições, entidades, associações, empresas, escolas públicas e privadas, universidades, conselhos e líderes comunitários a aderirem. A ideia é mobilizar o maior número de agentes para o aperfeiçoamento e normatização do Londrina Mais. “Buscamos aliar o poder público com a sociedade civil em um arranjo institucional que seja mais plural, transparente e democrático possível. Nesse momento, também estamos fazendo reuniões com secretarias e órgãos municipais para alinhar o plano de ação e dar ênfase na divulgação das ações”, disse o ambientalista responsável pelas ações do Patrulha das Águas e articulador do programa, João das Águas.

 

De acordo com João, a intenção é que até o final do ano todas as sugestões, questionamentos, alterações e apontamentos sejam feitos para que os trabalhos entrem em prática efetivamente a partir de 2019. “A construção de um sistema em rede, incentivando a logística do voluntariado, ajudará nos procedimentos para a readequação e aperfeiçoamento dos serviços públicos. Um dos pontos principais é incentivar os moradores a atuarem de forma alinhada com o Município dentro de uma metodologia que irá favorecer o desenvolvimento por região. Haverá gerências com planos, fundos e comitês que permitirão a implantação de projetos como o ‘Professor de Cidades’, por exemplo. Outros municípios também atuarão em conjunto nesse processo. Convidamos todos para participar”, frisou.

 

A Sala Londrina Mais, localizada no primeiro piso da sede da Prefeitura, está aberta para receber a população diariamente no horário de funcionamento do prédio. Mais informações podem ser acessadas no portal www.londrina.pr.gov.br/londrinamais (ou acessar banner Cidade Mais). Outros contatos são o telefone (43) 3372-4370, que também funciona como WhatsApp, e o e-mail londrinamais@londrina.pr.gov.br

 

O Londrina Mais integra o Programa Internacional Cidade Mais, gerenciado pela Patrulha das Águas, que é a mais antiga entidade de defesa ambiental da cidade, atuando desde 1991. O projeto é elaborado com foco no desenvolvimento sustentável em Londrina, trazendo à tona conceitos de cidade educadora, economia colaborativa e compartilhada, gestão pelas águas, educação para cidadania plena e descentralização administrativa com participação comunitária. Dessa forma, o programa visa uma tranformação socioambiental, gerencial e educacional.

 

O Cidade Educadora é a base do programa que tem como um dos pilares o projeto “Professor de Cidades”, por meio do qual serão feitas capacitações de pessoas com influência em seus bairros e regiões para transmitir conhecimentos e estimular a comunidade, que será orientada sobre como pode ajudar. Isso contribuirá para o desenvolvimento econômico e aumento da qualidade de vida, colocando Londrina como protagonista. A intenção é que cada área tenha um plano com dados sobre número de moradores, arborização, asfalto, bueiros, valores de IPTU, entre outros aspectos.

 

Sobre o Programa

 

O objetivo central é transformar Londrina em um município de referência em gestão compartilhada, preocupado com o desenvolvimento sustentável; com gestores públicos mais ativos e transparentes; com políticas públicas transformadoras; com o aumento na arrecadação e na geração de trabalho, emprego e renda locais; com a superação do improviso na gestão pública e o aproveitamento e potencialização do capital humano existente na cidade, tornando a gestão mais participativa, includente, solidária, inovadora, inteligente, integrada e sustentável.

 

Para criar o programa, os fomentadores da ideia se basearam em pesquisas acadêmicas, experiências de outros municípios e programas nacionais e internacionais de sucesso no desenvolvimento de cidades com gestão compartilhada, como o Cidades Educadoras, Cidades Sustentáveis, Cidades Empreendedoras e o Cidade Mais.

Renan Oliveira/NCPML



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário