Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A balança comercial do Paraná encerrou 2015 com saldo positivo de US$ 2,46 bilhões valor maior que o obtido em 2014 (déficit US$ 963,6 milhões). O valor exportado pelo Estado foi de US$ US$ 14,9 bilhões, 8,71% inferior a 2014 e o menor valor exportado nos últimos cinco anos, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

É importante destacar que a redução no valor exportado pelo Estado não foi uma particularidade do Paraná, ou seja, menor valor exportado também foi registrado para o Brasil e para a grande maioria dos estados. O valor exportado pelo Brasil em 2015 recuou 15,1% e foi o menor valor exportado desde 2009. Em relação a 2014, todos os estados da região Sudeste, Sul, Centro-oeste apresentam recuo no valor exportado, com quedas respectivas de (-18,65%), (-8,96%) e (-12,36%).

As regiões Norte e Nordeste, tiveram recuos médios de (-7,91%) e (-24,95%). Na verdade, o valor exportado pelo Paraná recuou menos que a média nacional e neste ponto se destaca o papel fundamental do agronegócio.

Em 2015, o valor exportado pelo agronegócio representou 78% do valor total exportado pelo Paraná, marcando o ano com a maior participação já registrada na série histórica, desde 2000, segundo dados do MDIC. O valor exportado pelo agronegócio totalizou US$ 11,64 bilhões, com a quantidade recorde exportada de 22,45 milhões de toneladas.

O valor exportado pelo agronegócio recuou 7,83% em relação a 2014, apesar do aumento de 13% na quantidade exportada. As exportações de outros produtos apresentou recuo de 11,72% em relação a 2014. O saldo positivo do agronegócio contribuiu para o fechamento superavitário da balança comercial do Estado, considerando também a redução das importações. Por este lado o agronegócio também registrou participação com recuo de 31,32% no valor importado.

A quantidade recorde exportada pelo agronegócio paranaense foi impulsionada pela desvalorização da moeda brasileira, que tornou os produtos brasileiros mais competitivos no comércio internacional. Por outro lado, o valor exportado retraiu com o menor preço global das commodities. Segundo o índice de preço dos alimentos da FAO, que mede os preços médios de cinco grupos de commodities, o recuo nos preços dos alimentos, em relação a 2014 foi de 19%, e isso refletiu no valor exportado pelo Paraná e outros estados.

Nas exportações brasileiras do agronegócio, a participação do Paraná foi de 13,19% como terceiro maior estado exportador, antecedido por São Paulo e Mato Grosso. O principal parceiro comercial do Estado foi a China (27%), seguido pela União Europeia (15%), Arábia Saudita (5%), Estados Unidos (4%), Índia (4%), entre outros. Composição pouco diferente das participações do agronegócio nacional (China 24,12% e União Europeia 20,7%).

A soja em grãos, principal produto exportado pelo Estado, registrou exportações recordes de 7,78 milhões de toneladas, com redução de 10% no valor exportado em relação a 2014. O preço médio de exportação recuou 24% no período, sob o efeito da relação confortável entre oferta e demanda com safras volumosas no hemisfério norte e sul. A China foi o destino de 90% das exportações de soja em grãos do Paraná.

O complexo carne apresentou redução de 2% no valor exportado, principalmente devido à queda no valor exportado de carne bovina (-30%), que também apresentou redução na quantidade exportada (-19%) e no preço médio de exportação. Dentre deste grupo o destaque foi a carne de frango, que respondeu por 20% das exportações do agronegócio paranaense, atingindo recorde na quantidade exportada, e colocando o Paraná no ranking de maior exportador nacional. Os principais mercados da carne de frango foram Arábia Saudita (22%), União Europeia (13%) e China (11%).

Os produtos florestais apresentaram participação de 13% no valor exportado pelo Estado, com crescimento de 19% na quantidade exportada, em relação a 2014, e aumento de 6,5% no valor exportado, colocando o Paraná em segundo lugar no ranking nacional como Estado de maior valor exportado, antecedido por São Paulo. Estados Unidos (23%) e União Europeia (20%) foram os principais destinos.

O complexo sucroalcooleiro apresentou participação de 7% nas exportações do Estado, com redução de 2,37% na quantidade exportada, de 20% no valor exportado e 18% no preço médio de exportação, em relação a 2014. O Estado teve o segundo maior valor exportado (US$ 866,9 milhões), antecedido por São Paulo.

O milho apresentou participação de 5% nas exportações do Estado, com crescimento de 19% na quantidade exportada e aumento de 6,87% no valor exportado, apesar do recuo de 10% no preço médio de exportação. Os principais mercados compradores foram Vietnã (20%) e Japão (15%). O Paraná foi o terceiro maior exportador, antecedido por Mato Grosso e Goiás.

Asimp/Sistema FAEP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios