Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Documento produzido pelo Departamento de Economia Rural, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, mostra que a redução das chuvas intensas no início do mês possibilitou avanço na colheita de diversos produtos.

As chuvas mais fortes deram uma trégua em praticamente todo o Estado nesta semana e os produtores de milho puderam reforçar a colheita dos grãos da primeira safra e avançar no plantio da segunda. Esse é um dos assuntos abordados pelos técnicos do Departamento de Economia Rural, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, no Boletim de Conjuntura Agropecuária da semana de 6 a 12 de fevereiro.

Nesta primeira safra, os produtores de milho paranaenses semearam 359 mil hectares. Até a semana passada, a colheita caminhava a passos lentos, devido às chuvas que ocorreram em janeiro. A expectativa de trégua para o início de fevereiro foi confirmada e, durante a semana, pelo menos 10% da área total foi colhida, embora algumas regiões, como Ponta Grossa, já tenham colhido 35%.

Apesar desse avanço, as chuvas, com constância e intensidade superior às médias históricas deixaram suas marcas. A produtividade média obtida até o momento gira em torno de 9 mil quilos por hectare, uma redução de 6,5% comparada à expectativa inicial de 9,6 mil quilos por hectare. Se as condições favoráveis continuarem nos próximos dias, tanto a colheita irá prosseguir com rapidez quanto haverá avanço no plantio do milho de segunda safra.

Soja e feijão

Para os produtores de soja, os dias mais secos também possibilitaram que os trabalhos de manejo fossem retomados. A expectativa é que a colheita, que já está atrasada, ganhe um bom ritmo nas próximas semanas, até porque muitos precisam preparar o terreno para o plantio do milho de segunda safra.

No caso do feijão, o boletim informa que a colheita atingiu 86% da área total prevista para a primeira safra. Aproximadamente 133 mil toneladas (52% do volume esperado) já foram comercializadas. O Paraná, junto com São Paulo e Minas Gerais, abastece o País. Para a segunda safra, 32% dos 237,3 mil hectares estão plantados.

Mandioca e tomate

A trégua nas chuvas ajudou também os produtores de mandioca em todo o Estado. Eles puderam retomar a colheita, que deve se intensificar a partir de março. Os agricultores também se ocupam com o preparo do solo para receber sementes de milho e feijão.

No tomate, o documento registra as duas safras paranaenses. O plantio da primeira já atinge quase 100% da área prevista, enquanto a colheita está em 62%. Os agricultores comercializaram 86 mil toneladas do fruto (65% do volume estimado). Na segunda safra, 205 hectares (16% do total) já estão semeados, com previsão de colheita de 82 mil toneladas.

Outros produtos

O Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária também registra o desempenho da comercialização de frutas na Ceasa/PR em 2020. Na avicultura, a análise é sobre o custo de produção durante o ano passado. Da mesma forma, há estudo sobre o preço dos ovos tanto para o produtor quanto para os comércios atacadista e varejista. A suinocultura paranaense igualmente é analisada no documento.

Confira o boletim de conjuntura agropecuária de 6 a 12 de fevereiro.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.