Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

País será representando no encontro, dias 15 e 16 deste mês, em Paris, pelo diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa

Pela primeira vez, o Brasil terá direito a voz e voto em uma reunião da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) sobre a aplicação dos recursos e as ações do Fundo Mundial de Sanidade Animal e Bem-Estar. O diretor de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e presidente da Comissão da OIE para as Américas, Guilherme Marques, representará o país no encontro, nos dias 15 e 16 deste mês, em Paris.

O fundo é mantido com recursos público e privados e suas ações globais são voltadas à erradicação de doenças animais, como a febre aftosa. A reunião na capital francesa definirá a destinação das verbas e estabelecerá as ações do fundo para o próximo ano nas Américas e em outras partes do mundo.

O Brasil sempre participou das reuniões do fundo na condição de observador, mas passou a ter voz e voto por causa de sua experiência no desenvolvimento de programas de saúde animal e pelo fato de ser um doador relevante. Neste ano, o setor produtivo agropecuário brasileiro destinou um milhão de euros (cerca de R$ 3,56 milhões) ao fundo da OIE.

De acordo com Marques, parte da verba deverá ser aplicada na erradicação da febre aftosa e mormo (doença infecto-contagiosa dos equídeos), na vigilância sanitária nas fronteiras com a Bolívia e Venezuela, no reconhecimento de laboratórios do governo federal e na otimização dos serviços veterinários oficiais.

Asimp/Mapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios