Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Agência de Notícias / PR

O Paraná formulou a campanha Plante Seu Futuro para reduzir riscos ambientais e evitar perdas financeiras para o agricultores. O trabalho incentiva produtores e técnicos a adotarem técnicas sustentáveis de plantio e na condução das lavouras, priorizando os cuidados com o solo. A campanha será lançada em todas as regiões do Estado em quatro seminários realizados a partir de terça-feira (05), em Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa.

O coordenador estadual da campanha, Celso Seratto, explica que a ação surge em resposta à preocupação com a incidência de novas pragas e resistência de outras, o que induz o agricultor a aplicar cada vez mais agrotóxicos, em prejuízo à sua saúde, à sua renda, pelos recursos destinados aos defensivos agrícolas, e ao consumidor, que tem menor oferta de alimentos seguros.

O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, diz que a campanha vai unificar a execução de técnicas de sustentabilidade disponíveis pelas empresas de pesquisas do poder público e da iniciativa privada. A campanha tem como gestores a Federação da Agricultura do Estado do Parana (Faep), Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Embrapa e Itaipu Binacional. A campanha terá como meta a retomada de técnicas já conhecidas do agricultor, como o Manejo Integrado de Solos e Águas, Manejo Integrado de Pragas, Manejo Integrado de Doenças, Manejo Integrado de Plantas Invasoras, Tecnologias de Aplicação de Agrotóxicos e Controle de Formigas Cortadeiras. Técnicos estão envolvidos na campanha para que mais agricultores possam ser bem orientados na aplicação de boas práticas de produção em suas propriedades.

O programa tem adesão de cerca de 40 parceiros que representam os produtores, cooperativas, agentes financeiros, sindicatos, empresas de assistência técnica e outros. “Todos estão mobilizados para que o Paraná volte a ser referência em técnicas de sustentabilidade no plantio e condução das lavouras e pecuária”, afirma Ortigara. Serão instaladas 150 unidades demonstrativas para os produtores e realizados 11 seminários em todo o Estado para técnicos agropecuários do poder público e da iniciativa privada. 

Na primeira etapa, a campanha deve abranger a área de soja, principalmente sobre controle de pragas como lagartas e percevejos, e de doenças como a ferrugem asiática, além de trabalhar com o manejo de solos e água para evitar a erosão. Posteriormente, as ações serão voltadas para o milho safrinha, milho, feijão, olericultura e fruticultura. O Paraná deve avançar rumo à prática de uma agricultura mais moderna, com redução no uso de agrotóxicos e colheita de alimentos mais saudáveis. “Estamos perdendo dinheiro por deixar de recorrer a técnicas que sabemos fazer e estamos perdendo competitividade”, ressalta. O secretário avalia que o nível de compactação do solo e de erosão, resultante do plantio contínuo de soja e milho, com uso intensivo de produtos químicos está preocupante. Ele defende a adoção de medidas de correção agora, para que haja continuidade dos elevados níveis de produtividade das lavouras paranaenses.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios