Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estimativas indicam aumento da produção, mas é preciso estar atento e monitorar o momento certo da colheita para evitar perdas e garantir a qualidade do grão

A exemplo dos últimos anos, a produção de grãos deve crescer e atingir o volume recorde de 289,6 milhões de toneladas, segundo as previsões da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra 2021/2022.  O grande destaque continua sendo a soja, principal produto da pauta de exportação brasileira que se mantém com preços firmes e demanda aquecida. 

Segundo os especialistas do setor, a colheita da soja é o momento mais aguardado pelo produtor rural. Eles projetam uma safra em torno de 140 milhões de toneladas para 2022.

Estar atento ao período da colheita garante a qualidade do grão e posteriormente o plantio do milho safrinha no tempo adequado, por isso, a palavra de ordem é planejar para que o resultado final saia como o esperado. 

Apesar da preocupação estar sempre voltada para o manejo de pragas e de doenças, é preciso evitar perdas na colheita para garantir alta produtividade, maior rentabilidade e qualidade dos grãos. 

A umidade dos grãos apresenta relação significativa com as perdas totais na colheita. Alguns produtores não consideram a variação da temperatura ao longo do dia e a secagem da planta, não ajustando a colhedora para as condições meteorológicas durante os dias de colheita.

O mesmo acontece para plantas mais úmidas. Com maquinários mal regulados, o produtor corre o risco de as vagens passarem pelo sistema de trilha sem serem debulhadas, ocasionando mais perdas. 

Entre as várias recomendações feitas por especialistas para uma boa produtividade, a questão da umidade do grão é o ponto-chave da colheita. 

Manoella Rodrigues da Silva, Diretora de Marketing da LocSolution, empresa paranaense detentora da marca Motomco de medidores de umidade de grãos, destaca que estar atento e monitorar o momento da colheita garante a qualidade do grão. 

"Em primeiro lugar, deve-se ficar atento à umidade do grão, por isso, a colheita da soja precisa ser feita na hora certa e de forma correta.  O teor de umidade está relacionado diretamente com a resistência dos grãos ao dano mecânico, sendo a faixa de umidade de 12 a 14% a ideal para a colheita", explica Manoella.

Para monitorar o grão é indispensável o uso do medidor de umidade para uma colheita bem sucedida. Manoella, recomenda ao produtor rural retirar amostras representativas de grãos em diversos locais da lavoura para medir a umidade. 

"Esse processo é bem simples e pode ser realizado pelo próprio agricultor, utilizando um aparelho portátil", acrescenta ela, lembrando que os medidores portáteis da linha Motomco  conquistaram em pouquíssimo tempo a liderança como aparelho mais vendido no Brasil. "Recomendamos aos produtores rurais em todos os processos de monitoramento da qualidade do grão", acrescenta ela.

O engenheiro agrônomo da LocSolution, Roney José Smolareck, observa que em uma cultura de sementes ou grãos, é de extrema importância analisar os padrões de umidade até a comercialização, passando por etapas como, colheita, secagem, armazenagem e expedição.

"Somente o medidor de grãos fornece uma porcentagem de umidade muito mais confiável e dentro dos índices oficiais", afirma.

Asimp/LocSolution

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.