Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governo federal teve importante resultado nos bem-sucedidos leilões, negociados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para a compra de produtos que formarão as cestas de alimentos distribuídas a famílias indígenas em situação de insegurança alimentar e nutricional em diversos estados do país.

A ação, que também incluiu os materiais e serviços operacionais envolvidos no processo, teve mais de 98% dos lotes comercializados, e a diferença entre o preço teto e o valor de fechamento levou a uma economia de R$ 48,1 milhões aos cofres públicos. Ou seja, 27,8% a menos do que poderia ser alcançado se não houvesse desconto.

“Esta operação demonstra a eficiência da Conab no desenvolvimento de suas ações e o compromisso da Companhia e do governo brasileiro com a utilização eficiente dos recursos à nossa disposição”, disse o diretor de Operações e Abastecimento da Conab, José Trabulo Júnior. “O deságio que obtivemos representa não só uma economia para os cofres públicos, mas também a garantia de continuidade das políticas públicas que promovem segurança alimentar para as famílias indígenas do Brasil. Nossa preocupação é garantir alimentação de qualidade para quem mais precisa, em um momento que pede ainda mais atenção e esforços conjuntos.”

A ação faz parte de um Termo de Execução Descentralizada (TED nº 8/2021) firmado com o Ministério da Cidadania, que garante o aporte de recursos para 1.165.585 cestas de alimentos. Desse montante, a Conab confeccionará 932.968 cestas nas unidades armazenadoras da estatal. Para esta ação, a Companhia já adquiriu cerca de 20 mil toneladas de alimentos, além de 232.617 cestas já montadas. Os produtos serão entregues a aproximadamente 233 mil famílias indígenas em situação de insegurança alimentar e nutricional em todo o país.

A operação é feita por meio do sistema de leilão eletrônico da Conab, que também atua na montagem, transporte e distribuição das cestas. A distribuição dos alimentos atende demanda da Fundação Nacional do Índio (Funai) e visa minimizar os efeitos da crise econômica e social gerados em função da pandemia da Covid-19.

Cada cesta possui até 22 kg de alimentos e é composta por produtos como arroz, feijão, macarrão, fubá, flocos de milho, farinha de mandioca, farinha, açúcar e leite em pó, com variação de alguns produtos, a depender do estado.

Ascom/Conab

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.