Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Mais de 1,6 milhão de cestas de alimentos foram distribuídas neste ano em todas as regiões do país pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). As doações foram destinadas pelo governo federal a quilombolas, indígenas, extrativistas e pescadores artesanais em situação de insegurança alimentar e nutricional. O apoio na alimentação alcançou mais de 420 mil famílias brasileiras, contribuindo para mitigar os efeitos da pandemia do coronavírus.

 “Esses dois últimos anos colocaram à prova o significado de resiliência a todos. Mas para alguns, esse teste foi mais árduo, mais pesado. Entregar os alimentos não é apenas uma questão de empatia com o outro. É dar a mão, é ajudar quem precisa, mas acima de tudo, é assegurar o essencial para uma vida digna”, reforça o presidente da Companhia, Guilherme Ribeiro.

Foram investidos na iniciativa, cerca de R$ 247 milhões para aquisição de mais de 35 mil toneladas de alimentos pela Conab. Os recursos vieram do Ministério da Cidadania, por meio do Termo de Execução Descentralizada nº 8, assinado ainda no final de 2020.  Após a compra dos produtos, a Companhia atuou na montagem e guarda dos estoques, bem como na logística de distribuição, em auxílio às instituições parceiras, como o Ministério da Agricultura – por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF) –, a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Fundação Palmares, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entre outros.

 “Diversas áreas da Companhia se articularam, se mobilizaram para atender os milhares de brasileiros. Uma operação de sucesso, planejada, motivada, que buscou minimizar os impactos gerados pela pandemia”, ressalta o diretor de Operações e Abastecimento da Conab, José Trabulo.

O maior volume de cestas foi entregue para indígenas. Aproximadamente 169,5 mil famílias foram contempladas, totalizando a doação de 689.357 produtos. Destaque também para a operação envolvendo os pescadores, por meio da qual mais de 246 mil famílias receberam 501.192 cestas de alimentos. Outras 405.795 cestas foram distribuídas para mais de 100 mil quilombolas, enquanto 25 mil extrativistas foram beneficiados com 100.324 cestas.

Entre os estados, destaque para o Pará. A unidade da federação registrou o maior número de doações, com o apoio a 178,8 mil famílias. Logo em seguida a Bahia registrou entrega de aproximadamente 373 mil cestas básicas. No Amazonas, foram realizadas mais de 273,5 mil doações. No estado amazonense, as cestas beneficiaram todos os públicos atendidos na ação com o atendimento a quase 120 mil famílias. Pernambuco e Mato Grosso do Sul também ultrapassaram a marca de 100 mil doações realizadas neste ano.

Cada cesta contém 22 quilos e é composta por produtos como arroz, feijão, açúcar, farinha de mandioca, leite em pó, macarrão, óleo de soja, flocos de milho, entre outros.

Para 2022

No próximo ano há previsão para que a Conab confeccione cerca de 1,16 milhão de cestas. Os produtos serão entregues a aproximadamente 233 mil famílias indígenas. Para a ação, a Companhia já adquiriu cerca de 20 mil toneladas de alimentos, além de 232.617 cestas já montadas. As aquisições foram realizadas por meio de leilão público, com recursos repassados pelo Ministério da Cidadania. Outros leilões ainda deverão ser realizados na próxima semana.

Asimp/Conab

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.