Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os produtores de tomate no Paraná estão recebendo mais pelo quilo comercializado. A variedade saladete (italiano) registrou aumento de 83% nas cotações em setembro, tendência que se mantém em outubro. Com a safra praticamente encerrada no estado, o mercado está sendo abastecido pelo produto com origem em Goiás e São Paulo, onde foram registradas reduções de área devido ao desestímulo provocado pelos baixos preços do ano passado, o que diminuiu a oferta, pressionando os preços para cima. Os dados fazem parte de estudo mensal realizado pela Superintendência Regional da Conab no Paraná.

A batata-doce é outro produto que ficou mais caro no último mês, com elevação próxima a 26% pelo quilo vendido. O clima adverso impactou a produção de uma das principais regiões produtoras dessa raiz, o interior paulista. A ocorrência de geadas, em junho e julho, e a falta de chuvas comprometeram as lavouras que foram colhidas em meados de agosto e setembro. A menor oferta elevou os preços, que devem continuar nesse patamar ainda em outubro.

Em movimento contrário, o arroz apresentou queda nos preços. Porém, a desvalorização é bem menos expressiva. O produto comprado dos produtores em setembro ficou 3,72% mais barato em razão da menor demanda por parte da indústria. Essa queda, no entanto, ainda não é sentida no varejo. A pesquisa nos supermercados mostrou que os consumidores pagaram 5,17% a mais pelo cereal, impulsionado por uma demanda mais aquecida nesse segmento.

Ascom/Conab

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.