Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

AEN

A agência paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financiou nos últimos três anos mais de R$ 1,2 bilhão para as cooperativas do Paraná. Somente neste ano, o valor financiado para o setor vai ultrapassar os R$ 600 milhões. Ao participar na sexta-feira (6) da abertura do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, o governador apresentou o desempenho do banco como uma das principais formas de apoio do governo estadual ao setor. Cerca de 1.500 pessoas participaram do evento.

Richa afirmou que o BRDE é um dos braços dos investimentos do Estado e que os créditos representam a confiança e o apoio do governo ao setor. “As cooperativas têm sido grandes parceiras para o desenvolvimento econômico e social do Paraná, porque geram riquezas e renda aos paranaenses e muitas oportunidades de trabalho”, afirmou Beto Richa.

“O BRDE financia as cooperativas para que elas possam ampliar ainda mais as atividades. Ficamos orgulhosos de ver o crescimento das cooperativas paranaenses, setor que tem muitas potencialidades ainda e que nosso governo tem apoiado decisivamente, em todos os aspectos”, disse ele, ao lado do presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas; do presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski, e do secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, e do presidente do BRDE, Jorge Gomes Rosa Filho.

Richa disse que o cooperativismo paranaense é referência ao Brasil, pela facilidade de se renovar e se atualizar, com sabedoria para conciliar as novas tecnologias e as novas práticas industriais, comerciais e operacionais com a experiência das antigas gerações.

O governador também destacou outras frentes de apoio ao setor, como os investimentos em obras de melhorias de estradas asfaltadas e rurais, o acompanhamento técnico por parte dos profissionais da Secretaria Estadual da Agricultura e a ampliação da capacidade de exportação do Porto de Paranaguá, que barateia e torna os produtos paranaenses mais competitivos.

“É uma diretriz do próprio governador apoiar nossas cooperativas com financiamentos e só temos a agradecer”, afirmou João Paulo Koslovski, presidente do Sistema Ocepar, que promove o encontro. “O relacionamento entre as cooperativas e o governo estadual tem se estreitado nos últimos anos, o que contribui para grandes conquistas ao setor”, afirmou Koslovski. Ele ressaltou o programa de calçamento e as Patrulhas do Campo, que recuperam as estradas rurais, consideradas pelas cooperativas como um dos gargalos logísticos.

Lei das Microempresas
 
João Paulo Koslovski destacou também a criação da lei estadual da Micro e Pequena Empresa, sancionada pelo governador Beto Richa, em outubro. Segundo ele, a lei beneficia diretamente o setor, pois a maior parte dos produtores é classificada como de pequeno porte. “Tem um papel de destaque no cooperativismo, pois traz vantagens a nossos cooperados”, disse. Com a lei, as microempresas e empresas de pequeno porte passaram a contar com uma série de benefícios que incentivam o empreendedorismo, a inovação e a sustentação no mercado formal.

Cooperativismo
 
O faturamento das cooperativas paranaenses em 2013 deve ser de R$ 43 bilhões, crescimento de 12% em relação ao ano passado (R$ 38,5 bilhões). O número representa quase 20% do faturamento previsto para o setor no País, que será de aproximadamente R$ 210 bilhões, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Para o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, o resultado representa a força do setor paranaense. “Espelha a grandeza, o fortalecimento e principalmente a profissionalização do cooperativismo aqui no Paraná. As cooperativas daqui tem um peso muito forte e são orgulho não só para o Paraná mais para o Brasil todo”.

O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, avalia que o cooperativismo paranaense tem uma forma diferente de organização, que deu certo. “Aqui, nossas cooperativas, seja qual for o setor, cresceram e se reciclam constantemente. É um setor que deu certo e se não fossem elas o Paraná teria muitas dificuldades”, afirmou o secretário.

No Paraná, as cooperativas são responsáveis por aproximadamente 56% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário. O setor gera mais de 1,6 milhão de empregos e recolhe, anualmente, cerca de R$ 1,6 bilhão em impostos.

Ocepar
 
O Sistema Ocepar engloba 236 cooperativas registradas, que atuam em dez diferentes ramos (agropecuário, crédito, consumo, habitacional, educacional, infraestrutura, saúde, trabalho, transporte, turismo e lazer). A organização abrange mais de um milhão de cooperados.

Realizado desde 1992, o Encontro Estadual de Cooperativas Paranaenses é promovido pelo Sistema Ocepar anualmente, neste período do ano, para comemorar as conquistas e projetar o exercício para o próximo ano. Cerca de 1.500 pessoas participaram do evento, que contou com uma programação composta por palestras e apresentações artísticas.

Participaram da solenidade os secretários de Estado Reinhold Stephanes (Casa Civil), Fernanda Richa (Família e Desenvolvimento Social); o presidente da Codapar, Tino Staniszewski; a ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann; o senador Sérgio Souza; deputados federais e estaduais e a diretoria do Sistema Ocepar e demais autoridades.
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios