Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Valor reduz 2,5% em relação a 2015. Mas a soja apresenta alta de 3,8%

O valor bruto da produção agropecuária (VBP) – a soma do faturamento dos principais produtos do setor – está estimado em R$ 517,5 bilhões este ano, 2,5% menor que o do ano passado (R$ 530,7 bilhões). Os dados foram divulgados, ontem (14), pela Coordenação Geral de Estudos e Análises (CGEA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Os principais motivos para a diminuição do VBP são problemas climáticos na safra 2015/2016, como estiagens prolongadas e altas temperaturas, que reduziram a produção de grãos em 10,3%. “Lavouras como algodão, milho, arroz e feijão foram bastante afetadas. No milho, as perdas foram de 17,7 milhões de toneladas em relação à safra anterior e no arroz, 1,8 milhão de toneladas. Sem dúvida, estes resultados se refletiram no faturamento das lavouras”, diz o coordenador do CGEA, José Garcia Gasques.

Entretanto, o valor bruto da produção da soja, um dos principais produtos brasileiros, tem estimativa de alta de 3,8% este ano, chegando a R$ 118,6 bilhões. Só esse grão corresponde a 23% de todo o faturamento da agropecuária.

Outras lavouras também apresentam crescimento, entre elas o amendoim (+13,7%), banana (+34,3%), batata inglesa (+31,6%), cacau (+4,4%), café (+10,4%), feijão (+11,7%), mamona (+36,3), trigo (30,1%) e maçã (+11,7%).

Já entre os produtos com queda estão o algodão (-13,9%), arroz (-15,2%), fumo (-28,1%), laranja (-11,8%), mandioca (-15,4%), milho (-4,7%), tomate (-48,1%) e uva (-20,2%).

Lavoura e pecuária

Dos R$ 517,5 bilhões, as lavouras correspondem a 65,3% e a pecuária, a 34,7%. Este ano, o VBP da pecuária apresenta uma diminuição maior do que o das lavouras: -4,6% em relação a 2015. Nas lavouras, a redução é de 1,3%.

O faturamento da carne suína diminuiu 13,8%, do leite, 10,1%, e da carne bovina, 3,8%. Segundo Gasques, esses resultados foram determinados por uma queda de preços em geral, já que as quantidades praticamente não se alteraram.

A região Sul continua com o maior VBP (R$ 152,65 bilhões), seguida do Centro-Oeste (R$ 143,95 bilhões), Sudeste (R$ 140,10 bilhões), Nordeste (R$ 42,8 bilhões) e Norte (R$ 29,98 bilhões).

Confira aqui e aqui o levantamento completo.

Viviane Novaes/Asimp/MAPA
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios