Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As raças de Cavalo Bretão, Gipsy (ou Cavalo Cigano), Percheron e Clydesdale, serão apresentadas pela primeira vez na ExpoLondrina 2015. Junto com a raça Friesian, que será trazida pela segunda vez, elas participam da 1ª Mostra da Raça Bretão e Convidados e 1ª Feira de Cavalos de Tração em Londrina. Os animais chegam hoje dia 15, no Parque Ney Braga, onde permanecem até o último dia da exposição, dia 19.

 “São raças consideradas exóticas. Os cavalos são funcionais, de grande porte e de grande beleza. Com certeza, será uma excelente oportunidade de difundir as raças e também chamará a atenção dos nossos visitantes”, comenta o diretor de Equinocultura da Sociedade Rural do Paraná, José Henrique Cavicchioli.

Segundo informações da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Bretão (ABCCBretão), serão trazidos 20 animais, sendo 13 da raça Bretão. Os animais participarão de desfiles nas carruagens pelo recinto e também haverá vendas e mostra nas baias. Terá também um Estande da ABCCBretão e das raças convidadas.

Bretão

De origem francesa, da região da Bretagne, Noroeste da França, e considerada a raça de tração mais difundida naquele país, Europa e Brasil, o Bretão foi eleito o preferido dos pequenos e médios agricultores, sendo um substituto eficiente de burros, mulas e de pequenos tratores, e por ser muito dócil, forte, rústico, e de fácil doma, é excelente para puxar carruagens e troles para família toda.

O Bretão chega a pesar 1.100 kg e medir 1,70 m de altura na cernelha, a média é de 1,58 m de altura e 850 kg. É utilizado para puxar carruagens e troles em passeios turísticos, em passeios de lazer, em provas de atrelagem esportiva, e como montaria na sela em desfiles e no policiamento. Na lida, puxa toras nos reflorestamentos, na extração de madeira, além de ser usado na aração da terra e no manejo das fazendas com os carroções.

Um Bretão puro consegue puxar um implemento sem rodas de até 1.500 kg, e um veículo com rodas até 4 vezes o seu peso, ou seja, cerca de 3.600 kg.

As pelagens permitidas são a alazã, a castanha e a rosilha, e suas variações.   A raça chegou ao Brasil em 1926, por intermédio do Exército Brasileiro. Hoje possui um plantel de 2.850 animais registrados desde 1989 no Serviço de Registro Genealógico da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Bretão, sediada em Amparo-SP.

Raças Convidadas

Percheron: É a raça de tração de nome mais popular do mundo. Originários da França, da região da atual Normandia, estes animais fazem muito sucesso na América do Norte e  na América do Sul.

Dono de grande força e elegância, o Percheron é utilizado em diferentes funções na atrelagem. No Brasil a raça foi introduzida também por volta de 1925, numa iniciativa do Exército, além das companhias Matarazzo e Cervejaria Antarctica, que utilizavam estes animais para puxar os carroções de entrega na cidade de São Paulo. Tem como altura média 1,65 m, podendo chegar a 1,80 m, e seu peso entre 800 e 1.100 kg. As pelagens permitidas são o tordilho e o negro. É registrado pelo ANC-Herd Book Collares em Pelotas-RS, e tem cerca de 1.800 animais registrados até hoje. A Associação Brasileira do Percheron foi criada em 2009.

Friesian: Raça de origem holandesa, da região da Frízia, é criada em vários países do mundo. Começou a ser importado para o Brasil no ano de 2009, hoje tem cerca de 100 animais no plantel brasileiro, e o serviço de registro genealógico está sendo controlado pela ABCCBH, desde 2013 e as aprovações e registros anteriores foram feitos pelos técnicos da Associação Holandesa- KFPS.

São animais dóceis, e que possuem dupla aptidão: sela e atrelagem , com um trote característico, muito apreciado no adestramento, e tem como característica força,  longos pelos nas crinas e patas.

A única pelagem permitida é a negra, e têm o porte entre 1,65m e 1,75 m com peso entre 500 Kg e 700 kg.

Clydesdale

Raça de tração originária da Escócia, no vale do rio Clydes, o Clydesdale também conquistou a América, especialmente os Estados Unidos e Canadá, que já concentram as maiores criações mundiais da raça. O Clydesdale chega a pesar 1.200 kg, sendo a média 850-950 kg e podem ultrapassar 1,80m de altura na cernelha.

Chegou no Brasil em 1999, mas só começou a ser criado em 2008, com animais importados dos EUA. Hoje tem cerca de 30 animais no Brasil, e não possui Associação ou registro no Brasil. Os animais são registrados nos EUA.

Gypsy Cob

No Brasil chamado de Gypsy Horse, é uma raça desenvolvida pelos ciganos Europeus, na Grã-Bretanha, por isso seu nome Gypsy. Ele é oriundo de cruzamentos de raças de pôneis e cavalos de tração pesada, Clydesdale e Shire, e por isso têm seu padrão variável, tendo dois portes, o pequeno, mais comum de 1,38 m a 1,45m, com peso entre 350 e 500 kg e o maior de 1,46 m a 1,65 m de altura, com peso entre 500 e 700 kg.

É bem difundido pelo mundo inteiro e é conhecida também como Gypsy Vanner, Tinker e Irish Cob. Ainda não possui Associação Brasileira para controle dos registros. Foi trazido para o Brasil no final de 2010, e começou a ser criado em 2011, com as matrizes e garanhões importados da França. Possui cerca de 40 animais no Brasil, concentrados no Estado de São Paulo por enquanto.         

O Gypsy Horse é dócil e também tem dupla aptidão: para sela e atrelagem. Apresentam longas crinas e pelos nas patas em abundância.

Motivações

Embora haja raças variadas de cavalo no Brasil, os criadores e apaixonados por cavalos estão sempre em busca de novidades e da descoberta de novas aptidões para o animal.

A diretora técnica, juíza e superintendente da ABCCBretão, além de inspetora oficial e juíza da Raça Percheron- Herd Book Collares, Susana Reinhardt Cintra, comenta que o crescimento dessas novas raças no Brasil se deve muito ao lazer familiar.

“São raças fortes, dóceis e tranquilas”, informa, acrescentando que esses animais puxam até 12 pessoas em veículos atrelados. “Eles  puxam sozinhos o mesmo peso que, para outras raças, são necessários dois ou três cavalos”, exemplifica.

Segundo informações da ABCCBretão, todas raças participarão de apresentações de atrelagem e haverá um test drive para as pessoas que quiserem dar uma volta ou conduzir o animais, que raramente são reunidos num mesmo local.

Asimp/SRP

BRETÃO Potro 3 anos/Divulgação

Gypsy Horse frente atrelado cabeça/Divulgação

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios