Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Agronegócio 21/02/2014  09h56

Exportação antecipada da soja acentua limitações de logística

Escoamento da oleaginosa se concentra em fevereiro e março. Por conta do acúmulo nesses meses, no entanto, terminais marítimos podem ficar sobrecarregados

Navio carrega trigo no Porto de Rio Grande - Crédito: Jonathan Campos/Expedição Safra
 
A pressão da colheita da soja provocou, nas duas primeiras semanas deste mês, um aumento de 46,8% do fluxo do produto nos portos brasileiros em relação ao mesmo período do ano passado. Já foram embarcadas 782,6 mil toneladas da commodity em fevereiro, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em 2013, o mês inteiro registrou 959,6 toneladas exportadas.
 
Como a maior parte da safra ainda não foi embarcada e está saindo do campo, as rotas de escoamento ficarão ainda mais sobrecarregadas. Para avaliar as estratégias dos administradores públicos e privados que tentam evitar filas de caminhões e navios, os técnicos da Expedição Safra 2013/14 estão acompanhando os portos do Sul do país. Os administradores informam manter a fila de caminhões sob controle e preveem um escoamento mais ágil que o de 2013.
 
O porto de Rio Grande (RS), que carregou mais de 8 milhões de toneladas da oleaginosa em 2013, afirmou ter reduzido o tempo máximo de espera de navios atracados, conferiu a equipe da Expedição na última semana, em visita ao terminal. O embarque ficou mais rápido graças ao sistema Fob-Fob, que permite preencher cada navio de uma única vez, com caminhões de qualquer empresa exportadora. Na prática, isso evita que um barco fique atracado por muito tempo no local.
 
Em Paranaguá (PR) foi implantada em dezembro de 2013 a Via Expressa, canal exclusivo para navios com até três paradas programadas no Corredor de Exportação. Mas o sistema ainda não se popularizou. Do início do ano até o início de fevereiro, apenas um navio, entre os 30 que passaram pelo porto, utilizou este corredor.
 
Estradas também operam no limite
 
As rodovias vêm recebendo carga cada vez maior com o crescimento das exportações de soja e milho, que cresceram, nos últimos cinco anos, 74,6% e 318,0% respectivamente, segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). “O escoamento seria mais ágil mesmo em Rio Grande se houvesse mais investimento em reparos e duplicações nas rodovias usadas pelo agronegócio”, exemplifica Natália Orlovicin, economista da INTL FCStone, que acompanhou a Expedição durante o roteiro Sul.
 
O governo federal confirmou para 2014 a concessão de um trecho da BR-163, entre Sinop (MT) e Miritituba (PA). Concluída, a estrada vai facilitar o acesso aos portos do chamado Arco Norte. Em abril, a Expedição Safra vai visitar dois desses portos, em Itacoatiara (AM) e Santarém (PA).
 
Rafael Neves/Asimp/Expedição Safra
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios