Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Receita dos embarques foi 5,2% maior, segundo o mesmo período comparativo

As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 348,4 mil toneladas em fevereiro, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).  O número é 10% superior aos embarques efetivados no segundo mês do ano passado, quando foram exportadas 316,7 mil toneladas.

As exportações de fevereiro geraram receita de US$ 553,8 milhões, resultado 5,2% maior em relação aos US$ 526,4 milhões realizadas no mesmo período de 2019.

Somando os dados de janeiro e fevereiro, o volume embarcado alcançou 672,2 mil toneladas, número 12,3% maior em relação ao efetivado no primeiro bimestre de 2019, com 598,4 mil toneladas.  Em receita, a alta chega a 10,5%, com US$ 1,082 bilhão em 2020, contra US$ 980,4 milhões efetivadas no ano passado.

Respondendo por 17,5% do total das exportações brasileiras no primeiro bimestre, a China importou 115,4 mil toneladas, volume 59% superior ao realizado entre janeiro e fevereiro de 2019.

“Assim como ocorreu com as exportações de suínos, a extensão do Ano Novo Chinês e as questões logísticas geradas na retenção do coronavírus não reduziram a demanda chinesa por carne de frango do Brasil. Ao contrário, houve um impulso pouco comum para o período.  Os impactos na Peste Suína Africana continuam a ditar o comportamento deste mercado, assim como em outros países asiáticos”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

No contexto asiático, a Coreia do Sul foi destino de 17,5 mil toneladas no primeiro bimestre deste ano, número que supera em 12,5% as vendas para efetivadas nos dois primeiros meses do ano passado.  Filipinas incrementaram suas compras em 104%, com 14,7 mil toneladas.  Cingapura aumentou suas compras em 49%, com 18,3 mil toneladas entre janeiro e fevereiro.

“A Ásia se consolidou como principal destino das importações de carne de frango do Brasil.  Este é um fato favorável, especialmente quando verificamos que o preço médio praticado nas vendas para essa região do globo é superior à média geral das exportações”, pontua Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

No mesmo período comparativo, a União Europeia incrementou suas compras em 14%, com total de 40,2 mil toneladas.  Entre os países islâmicos, o principal destaque foi a Líbia, com elevação de 370% em suas importações, com 16,3 mil toneladas.

Paulo Cezar Abrahão Prates/Ascom/ABPA

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.