Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O aumento de R$ 150 mil para R$ 330 mil foi incluído pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no Plano Safra para a Agricultura 2016/2017

A presidente Dilma Rousseff anunciou, ontem (3), no Palácio do Planalto, em Brasília, a ampliação de mais de 100% na linha de crédito oferecida aos produtores de pescado – uma reivindicação do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), que tem o objetivo promover o desenvolvimento econômico do Oeste do Paraná. O aumento de R$ 150 mil para R$ 330 mil, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), foi incluído pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no Plano Safra para a Agricultura 2016/2017.

Segundo o Delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no Paraná, Reni Denardi, o aumento é resultado de um pedido feito por ofício, endereçado ao ministro do MDA, Patrus Ananias, entregue pela Câmara de Pescado do POD, no início de fevereiro, durante o Show Rural, em Cascavel (PR).

“É uma conquista muito grande para a cadeia produtiva de peixe na região, pois enquanto outras cadeias produtivas da cadeia animal, como aves e suínos, podiam solicitar empréstimos com juros subsidiados de até R$ 300 mil para investimentos, as de pescado tinham um limite máximo de R$ 150 mil”, disse Jonhey Nazário Lucizani, representante do Parque Tecnológico Itaipu no POD.

Para o coordenador da Câmara do Peixe, Maurício Luiz Kosinski, esses recursos serão de extrema importância para o desenvolvimento da piscicultura, não só no Oeste do Paraná, mas em todo o Brasil. “Muitos produtores tinham interesse em profissionalizar a atividade, mas ficavam impedidos por falta de incentivo financeiro. Agora, isso já não é mais problema”, afirmou.

Mais recursos

Denardi afirmou que, no Plano Safra 2016/2017, os piscicultores poderão, dentro do Pronaf Custeio, solicitar empréstimos de até R$ 250 mil por mutuário no ano-safra, com juros de apenas 2,5% ao ano.

Se o valor for utilizado para investimento, dentro do “Mais Alimentos”, os produtores de pescado poderão pedir empréstimos anual de até R$ 330 mil, com juros de 5,5% ao ano.

Crescimento

Apesara de ser considerada a “caçula” do Oeste do Paraná, a cadeia do pescado está em plena expansão. Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, a expectativa é que em 2016 a cadeia cresça 22% no Paraná, superando a meta nacional, de 15%.

Os maiores produtores estão no Oeste do Estado. O principal destino dos peixes são 18 frigoríficos de pequeno, médio e grande porte em atividade na região, que compram 80% da produção dos piscicultores. Os 20% restantes são vendidos para outros estados, como São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Oeste em Desenvolvimento

Lançado em 2014, o Programa Oeste em Desenvolvimento é uma iniciativa que une mais de 40 instituições – como Itaipu Binacional, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), Sebrae/PR, Sistema Cooperativo, Caciopar, Amop, Emater e Fiep.

O programa tem como objetivo promover o desenvolvimento econômico do Oeste do Paraná por meio de ações integradas, com foco nas potencialidades regionais.

As principais áreas de atuação são infraestrutura e logística, pesquisa e desenvolvimento, crédito e fomento, capital social e cooperação, e energias limpas e renováveis.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios