Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Sistema de integrados ajuda a movimentar um mercado de cerca de 1,5 bilhão de frangos abatidos e traz mais qualidade à vida no campo

Em 28 de agosto é comemorado o Dia do Avicultor e esse profissional é um dos principais parceiros do Grupo Pioneiro para movimentar a cadeira produtiva da avicultura – economicamente e socialmente - no Norte Pioneiro. A empresa é responsável pelo abate, em média, de 32 milhões de aves por ano, gerando cerca de R$ 335 milhões por ano para a economia do Norte Pioneiro.

De acordo com dados do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), até junho deste ano, o estado atingiu o acumulado recorde de 757.08 milhões de cabeças abatidas. Isso representa uma alta de 5,8% frente aos resultados de 2013, quando foram abatidas, no primeiro semestre, 715.15 milhões de aves. Ainda de acordo com o Sindicato, a estimativa é de que o Paraná feche o ano de 2014, com mais de 1,5 bilhão de cabeças abatidas. Nos últimos cinco anos, o abate cresceu 15% no Paraná - estado que concentra maior produção e exportação de carne de frango do país. Em termos de geração de empregos, a atividade avícola movimenta 660 mil empregos diretos e indiretos e envolve 20 mil produtores em regiões rurais do interior do Estado. O Grupo Pioneiro gera mais de 2 mil empregos diretos e 6 mil indiretos. "São 14 cidades empregadas dentro da empresa hoje. Isso é geração de renda para a região", comenta Renato Módolo, gerente de Recursos Humanos.

A soja e o milho são os principais ingredientes da ração. Em média são consumidos 5,2 quilos de ração por ave nos 44 dias de crescimento. "Para abater 160 mil aves por dia são necessários 600 mil quilos de milho e 210 mil de soja transformados em ração, ou seja, 154 milhões  quilos por ano de milho ou 13 mil alqueires de plantio para a produção. Já a soja, em torno de 54,2 milhões quilos por ano, ou seja, 8,5 mil alqueires plantados e transformados em farelo de soja e soja extrusada que irão para a formulação da ração", explica Rhoger Henrique dos Santos.

Quem colabora para impulsionar essa indústria no Norte Pioneiro são avicultores, pequenos produtores e agricultores – parceiros selecionados pelo Grupo Pioneiro, chamados de sistema de integração, ao todo, 170 integrados, que estão localizados nas cidades de Joaquim Távora, Carlópolis, Quatiguá, Siqueira Campos, Guapirama, Tomazina, Wenceslau Bráz, Ribeirão Claro, Abatiá, Jundiaí do Sul, Santo Antônio da Platina, Conselheiro Mairinck, Japira, Pinhalão, Ibaiti, Curiúva, Jaboti, Piraí Do Sul e Arapoti.

“A empresa proporciona um sistema integrado que direciona e impulsiona a produção da avicultura na região. Esse método faz o homem se fixar no campo e leva qualidade de vida ao interior do estado. Sem essa estrutura seria muito difícil para o produtor”, afirma o médico veterinário Rhoger Henrique dos Santos, gerente Agropecuário e Fomento da Frangos Pioneiro.

Adriano Moreira do Nascimento, supervisor técnico da Integração do Grupo Pioneiro, avalia que para cada trabalhador envolvido no processo de integrados, sejam gerados mais três outros empregos diretos ou indiretos. “É uma atividade econômica que impulsiona a economia da região, que acaba sendo uma consumidora para culturas agrícolas de milho, soja e café. Tudo nessa cadeia produtiva é utilizado”, diz.

A empresa conta com o setor de Captação de Aviários, que visa angariar novos produtores para o fornecimento de cereais ou para a criação de pintainhos. “Esse espaço é considerado o elo do produtor com a Frangos Pioneiro. Apresentamos o negócio, que pode ser tanto para o aviário como para a compra de cereais e oferecemos uma assessoria, seja de financiamento para a construção do negócio ou na comercialização de produtos”, esclarece o supervisor do Departamento de Captação, Márcio Rosinaldo da Silva.

A captação de novos produtores ocorre desde a fundação da empresa, mas aumentou quando o abatedouro foi ampliado. “Com a garantia de compra por parte da Frangos Pioneiro, o avicultor confia em nosso trabalho e gera uma produção segura e de maior qualidade”, afirma Silva.

Asimp/Grupo Pioneiro

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios