Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Startup destaca o suporte, as mentorias e os cursos de qualificação do PTI-BR no desenvolvimento do seu negócio

O mercado brasileiro de piscicultura vem crescendo muito nos últimos anos. Em 2020, a produção de peixes no Brasil atingiu 802.930 toneladas, com receita de mais de R$ 8 bilhões. É uma área que gera cerca de 1 milhão de empregos diretos e indiretos.

O Paraná é líder absoluto em produção de peixes de cultivo no Brasil e vem há vários anos consolidando uma posição de destaque no cenário internacional, mesmo no período de pandemia.

Foi avaliando esse cenário que Samuel Behling e Régis Manzke criaram a startup Acqua Fish, uma das novas incubadas no Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR). A startup desenvolveu um equipamento que traz maior eficiência, economia e produtividade para os produtores peixes de cultivo.

Behling e Manzke observaram que muitos produtores não têm um sistema de trabalho tecnológico, tendo que realizar todos os procedimentos de forma manual. “Nosso equipamento é capaz, a partir de um sistema de automação com sondas, de checar o oxigênio da água, O pH (medida do grau de acidez ou alcalinidade), a temperatura, entre outros dados, tudo isso em tempo real”, explicou Samuel Behling, CEO da Acqua Fish.

“Além das medições, o sistema permite que o piscicultor possa acessar os dados de produção, criando comparativos entre os tanques, reduzindo custos e aumentando a conversão alimentar. Outro ponto a se destacar é o processo de acionamento remoto ou conforme programação (observando o oxigênio na água) dos aeradores (equipamentos que preservam a qualidade da água a partir da oxigenação adequada do tanque), aumentando a vida útil dos equipamentos”, disse o CEO da Acqua Fish.

Segundo Behling muitos produtores precisam ir até o açude para fazer as medições necessárias, muitas vezes feitas no “olhômetro”, para o controle de qualidade. Com o equipamento desenvolvido pela Acqua Fish, é possível acompanhar todo o processo a distância, em tempo real, gerando mais comodidade e qualidade de vida.

“O produtor não precisa mais acompanhar presencialmente a produção. Ele pode ligar o aerador remotamente, pelo celular ou computador em qualquer lugar do mundo, bastando apenas ter acesso à internet”, disse Behling.

A tecnologia também permite economia nos gastos com energia já que o controle é mais preciso e eficiente. “No trabalho manual, o produtor liga o aerador às 18h00 e só desliga às 8h00 do dia seguinte. No equipamento de automação, o aerador será acionado apenas no momento que houver uma redução no oxigênio, ou sendo ligado e desligado conforme programação realizada pelo operador. Se contar o número de horas, de tanques e a quantidade de aeradores do produtor, a economia pode ser muito grande”, comentou.

O salto de qualidade na Incubação

De acordo Samuel Behling, a participação da Incubadora Santos Dumont do PTI está sendo muito importante para o crescimento da empresa nos primeiros 6 meses de parceria.

 “O apoio, as mentorias, os cursos de qualificação estão sendo fundamentais. Mas o mais importante é que temos pessoas no PTI que trabalham conosco. O PTI não é um mero participante, ele vive com a gente este projeto, ele quer que esse projeto dê certo tanto quanto nós queremos. Isso é fantástico! Esses primeiros meses não poderiam ter sido melhores”, ressaltou.

Para Rodrigo Régis, diretor de Inovação e Negócios do PTI-BR, o Parque Tecnológico incentiva às empresas incubadas na Santos Dumont, a desenvolver soluções de um problema real de mercado, aplicando um modelo de negócio inovador.

 “Nossos analistas de negócios acompanham e orientam as startups para sua melhor performance. Implementamos uma metodologia de desenvolvimento de negócios onde transformamos uma ideia em modelo de negócio inovador. Para isso, realizamos treinamentos, assessorias, mentorias empresariais e oferecemos todo o suporte. Desejamos que essas startups incubadas transformem positivamente a nossa região”, disse Rodrigo Régis.

Ascom/Fundação Parque Tecnológico Itaipu – Brasil 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.