Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

É na cidade de Iretama, a 230km de Londrina, que será realizado o 36º Encontro Estadual de Sericicultura nesta quinta-feira (25). A expectativa é reunir cerca de mil produtores de bicho da seda no encontro que acontece uma vez por ano, sempre em julho, durante a entressafra que dura dois meses por conta do inverno.

Iretama tem 45 produtores, mas já chegou a 120. A soja tomou conta de muitas propriedades,  mas a ligação da cidade com a sericicultura é grande, desde o nome usado pelo prefeito, Wilson Bratac, que trabalhou doze anos como técnico da empresa Bratac, a única fiação de seda sobrevivente no ocidente, que tem duas plantas industriais, uma em Londrina e a outra em Bastos, interior de São Paulo. É a primeira vez que o encontro estadual será realizado no município. “É um sonho realizar este encontro em Iretama.  A sericicultura é muito importante na cadeia produtiva do município”, comenta o prefeito Wilson Carlos de Assis (Wilson Bratac).

Apoio

Para realizar o encontro, o deputado Tiago Amaral, a presidente da Associação Brasileira da Seda (Abraseda), Renata Amano, e o prefeito de Iretama estiveram com o secretário da Agricultura e Abastecimento Norberto Ortigara para solicitar apoio para o evento estadual. A reunião em fevereiro garantiu apoio de R$40 mil. O encontro, que reúne produtores para um dia de palestras, vai abordar a sustentabilidade nas propriedades, além de oferecer um bom espaço para a troca de experiência entre os produtores e apresentação dos resultados obtidos nas propriedades. O Paraná se destaca como o maior produtor de casulo de seda do País, com 84% da produção, e exporta todo o fio processado no Estado por uma única empresa compradora de casulos que é a Bratac.

Produção

A atividade sustentável, sem uso de agrotóxicos, conquistou José Aparecido Macedo. Desde 2007, ele produz os casulos junto com o irmão em uma propriedade de 5 alqueires, no Distrito de Marilu, em Iretama. A Bratac distribui as larvas para os sericicultores integrados que são criadas em barracões e se alimentam de folhas de amoreiras cultivadas nas propriedades. Após 28 a 30 dias, é a vez do produtor entregar à Bratac as caixas com casulos. “Cada caixa dá uma média de 60 quilos. Cada quilo varia entre R$ 20 e R$ 23 reais”, explica José que planeja aumentar o número de barracões na propriedade para investir mais no bicho da seda. “Compensa demais, não tem igual”, afirma. 

Outra vantagem é que a cultura do bicho da seda convive bem com outras atividades, desde que não usem inseticida. Na propriedade, José aumenta a remuneração da família com a pecuária leiteira. Há 18 anos na atividade, a produtora Marilza da Silva deixou outras culuras para investir apenas no bicho da seda. “É uma atividade com remuneração mensal, com garantia de compra dos casulos”, afirma. Segundo Marilza, são vendidas em média 4 caixas por mês, garantindo cerca de R$ 4 mil à família.

Oportunidade

De fibra leve e suave, o casulo é o esconderijo descartado pelo inseto que se torna matéria-prima para a fabricação da seda, um dos tecidos mais valorizados na indústria da moda. A Bratac necessita de um volume maior de fios para atender o mercado externo. O Estado produz o fio, mas não o tecido de seda. O diferencial do fio paranaense é sua elevada qualidade e por isso é disputado pelas tecelagens mais exigentes do mundo.

De acordo com o diretor presidente da Bratac, Shigueru Tanigushi Júnior, a empresa pode absorver facilmente 20% a mais de matéria-prima. Para isso, busca novos produtores e aumento da produtividade.

Programação do 36º Encontro Estadual de Sericicultura

Local: Parque de Exposições de Iretama

-6h30 às 8h30: credenciamento e recepção dos sericicultores

-8h30: abertura

-10h: apresentação do resultado das unidades de referenciamento

-10h30: palestra A Sustentabilidade na Sericicultura com Liane Lima

-11h15: palestra Tecnologia com Segurança Máxima com Edson Brito

-12h: almoço e atração artística

-13h30: projetos de inovação na sericultura

-14h45: premiação aos sericicultores

-17h: encerramento

Rosi Guilhen/Asimp

Foto: Elizeo Garcia Junior

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios