Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Adumax, um fertilizante orgânico indicado para todos os tipos de cultivo, será uma das apresentações da Embrapa Suínos e Aves (Concórdia/SC) durante a Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal – FIPPPA 2015, realizada em Curitiba/PR, de 28 a 30 de abril. Ele é resultado de um arranjo tecnológico no tratamento de dejetos suínos para a produção de fertilizante orgânico e será lançado durante a feira, em parceria com a CTR Fertilizantes.

De acordo com o pesquisador da Embrapa, Paulo Armando de Oliveira, foram mais de dez anos de pesquisas na área da compostagem de dejetos suínos e, a partir de 2011, em parceria com várias empresas, a Embrapa viabilizou a primeira experiência prática do arranjo. "Envolvemos uma grande agroindústria, seus integrados, empresas de equipamentos para a compostagem e uma indústria de ensacamento do adubo orgânico", explica o pesquisador.

Assim, o arranjo tecnológico inclui a produção de suínos, com os dejetos (que devem ter uma concentração de sólidos totais acima de 5%) servindo de matéria-prima para a compostagem e o enriquecimento do fertilizante. Depois, vem a compostagem, quando os dejetos são distribuídos por uma máquina em um leito de compostagem com serragem proveniente de madeira de reflorestamento. E, por fim, a fábrica de adubo, onde o composto orgânico é peneirado e embalado para comercialização.

O Adumax é comercializado pela empresa catarinense CTR Fertilizantes, de Jaborá. Outras informações sobre o fertilizante estão disponíveis no site da Embrapa Suínos e Aves, no endereço www.embrapa.br/suinos-e-aves ou da CTR Fertilizantes, em www.ctrfertilizantes.com.br.

Fêmea Suína Embrapa MO25C

Outro produto que a Embrapa Suínos e Aves estará mostrando na FIPPPA é a fêmea suína Embrapa MO25C, lançada no ano passada. Por meio de vídeo e materiais impressos, o público poderá conhecer mais detalhes sobre a fêmea. Ela foi concebida para ser versátil, com boa produção de leitões, e transmitindo também melhor qualidade de carne aos suínos de abate. A MO25C é voltada para sistemas de produção que abastecem supermercados, churrascarias, restaurantes, mercado externo e produtos curados (presunto, copa, salame), que exigem cada vez mais qualidade de carne in natura.

A principal característica da carne dos cevados produzidos por matrizes MO25C está na suculência (marmoreio), percebida principalmente na fabricação de produtos curados, que não ficam tão secos. A carne também tem diferenças no sabor, maciez e na cor, um pouco mais vermelha que a carne industrial. A MO25C pode ser utilizada com a linha macho da Embrapa, o MS115. Conhecido como "suíno light", o MS 115 tem potencial genético para carne na carcaça acima de 62%, é adaptado para criações em todo o território nacional e é livre do gene halotano, o que lhe confere maior resistência ao estresse e uma capacidade de produzir carne de melhor qualidade.

Serviços e Softwares

O visitante da FIPPPA também conhecerá os serviços e softwares que a Embrapa tem disponível. Um deles é o Salmonelômetro, que apresenta um teste sobre a situação da granja em relação aos riscos com salmonela. Respondidas as perguntas, surge um índice de provável contaminação por salmonela e o apontamento dos fatores de risco que precisam ser corrigidos. O Salmonelômetro pode ser acessado também na internet, no endereço www.embrapa.br/suinos-e-aves, onde está disponível, ainda, uma publicação sobre o tema.

A Central de Inteligência de Aves e Suínos – CIAS e o Granucalc são outros serviços que a Embrapa apresenta ao público. A CIAS publica mensalmente os índices dos custos de produção de aves e suínos (ICPFrango e ICPSuíno) e os custos de produção referenciais nos 11 maiores Estados produtores do Brasil; Já, o Granucalc, software de ajuste de granulometria da ração para aves e suínos, está disponível para computadores e smartphones e tablets baseados no sistema operacional Android.

Vídeos

A Embrapa também apresenta o vídeo Limpeza e Desinfecção em Granjas Suinícolas. O vídeo explica em detalhe oito passos indispensáveis para limpar e desinfetar adequadamente as instalações em que são criados os suínos. São eles: limpeza seca, limpeza úmida, aplicação do detergente para completar a limpeza e retirar a sujeira invisível, lavagem final ou enxágue, retirada da água acumulada nos pisos e equipamentos, secagem das instalações, desinfecção e vazio sanitário. A limpeza e a desinfecção requerem dedicação de toda a equipe, sejam produtores, técnicos ou empresas de limpeza. A dedicação tem um retorno certo em termos de bem-estar animal, custos menores e bons resultados de produtividade. O vídeo pode ser visto e baixado gratuitamente na página www.embrapa.br/suinos-e-aves.

Quem tiver interesse em saber mais sobre o projeto que a Embrapa e Aurora desenvolveram na área de avicultura, pode assistir ao vídeo “Organização de granjas avícolas – A experiência do Projeto Frango Aurora”, também disponível no estande da Embrapa.

Monalisa Leal Pereira/Asimp/Embrapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios