Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Produtores tiveram perdas neste ano por causa de condições climáticas e dos preços do produto

Senadores e deputados representantes das bancadas de Minas Gerais e do Espírito Santo estiveram ontem (20) com a ministra Tereza Cristina para debater a difícil situação atual dos cafeicultores brasileiros. A principal preocupação apresentada pelos parlamentares foi em relação à prorrogação das dívidas dos produtores, que tiveram perdas neste ano por causa de condições climáticas e do preço do café.

Tereza Cristina disse que irá ajudar nas conversas com instituições financeiras para que haja uma renegociação. “A prorrogação deverá ajudar aqueles cafeicultores que tiveram problema na colheita e precisam prorrogar para ter um fôlego e voltar a produzir e, se Deus quiser, no ano que vem ou no próximo ter café em estoque para poder cumprir com seus compromissos financeiros”, disse a ministra.

Os parlamentares decidiram apresentar um projeto de lei em regime de urgência no Congresso Nacional para abrir a possibilidade de adoção do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) invertido, que poderá garantir um preço de referência para o café. A líder do governo no Congresso, deputada Joyce Hasselmann (PSL-SP), prometeu levar o assunto à presidência da Câmara dos Deputados.

“Ele [o Pepro] precisa estar pronto para ser acionado na hora necessária. Fazendo esse PL em regime de urgência, fica pronto e de repente pode ser usado ainda neste ano”, disse a ministra, ao fim da reunião.

Asimp/Mapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios