Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em sua quinta edição, projeto pauta motivos, impactos e soluções à crise provocada com o embargo europeu; equipes vão percorrer sete estados, que respondem por 88% da produção e 93% da exportação nacional

A Expedição Avicultura volta à estrada em um dos momentos mais críticos do setor na última década. O desafio é fortalecer a iniciativa como um palco de discussão capaz de integrar a cadeia em busca de soluções à crise estabelecida com o embargo europeu à carne de frango do Brasil. Para garantir essa amplitude e capilaridade do debate, em 2018, o projeto técnico-jornalístico vai percorrer sete estados, que respondem por 88% da produção e 93% das exportações da proteína. Além de Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás, a equipe desembarca pela primeira vez em Pernambuco, um dos principais polos de expansão de produção e consumo no Nordeste.

O lançamento desta que é a quinta edição do projeto ocorre na terça-feira (29), no terminal da Brado Logística em Cambé, Norte do Paraná. Apoiado no tema “Desafios e Oportunidades no Brasil e no Mundo”, o diagnóstico traz à pauta o impacto do embargo da União Europeia (UE) e assuntos relacionados como sanidade, bem estar animal e consumo. “Nesse momento, precisamos discutir e ressaltar, principalmente para o consumidor, que o frango brasileiro atende rigorosos padrões sanitários. Nosso problema é muito mais político do que técnico”, destaca o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Avicultura, Giovani Ferreira.

A carne de frango é a proteína animal mais consumida pelo brasileiro. Em 2017, o índice per capita chegou a 42 kg/ano, valor superior ao alcançado pelas carnes suína (14,7kg/ano) e bovina (26,4kg/ano). Mesmo assim, na opinião de Ferreira, ainda é possível ganhar desempenho. “É uma proteína saudável, versátil e acessível do ponto de vista econômico. Aumentando a demanda brasileira, conseguimos equilibrar a relação entre o mercado doméstico e o internacional”, completa.

Roteiros

Entre os meses de maio e agosto de 2018, a equipe de técnicos e jornalistas vai percorrer mais de 15 mil quilômetros por sete estados brasileiros, que juntos têm potencial para produzir 11,5 milhões de toneladas e embarcar 3,5 milhões de toneladas da proteína – os números equivalem a 88% e 93% do desempenho nacional, respectivamente.

Os roteiros têm início pelo Paraná, principal produtor e exportador de carne de frango do país. Segundo projeção da Expedição Avicultura, o estado deve produzir 4,3 milhões de toneladas da proteína este ano – crescimento de 4,5% em relação a 2017. Em seguida, aparecem Santa Catarina (2,08 mi t), Rio Grande do Sul (1,8 mi t), São Paulo (1,1 mi t), Minas Gerais (1,02 mi t), Goiás (884 mil t) e Pernambuco (130 mil t).

Para abrir os roteiros de campo, a Expedição Avicultura reúne o setor avícola nesta terça-feira (29), no terminal da Brado Logística em Cambé (PR). A programação técnica tem início às 8h30 e conta com a participação do diretor comercial e de operações da Brado, Marcelo Saraiva, o presidente-executivo da SPRO IT Solutions, Almir Meinerz, e o gerente regional de avicultura da Boehringer Ingelheim, Emerson Godinho.

Para confirmar presença no evento, clique aqui.

Camila Tsubauchi/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios