Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O pesquisador e diretor financeiro da Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (Abrates), Dr. José de Barros França- Neto, fará palestra sobre “Semente e  a Produtividade” na live “Aquecimento da Safra”

A conquista de alto teto de produção pelo produtor de soja dependerá, em grande parte, das decisões que tomar no planejamento da Safra 2021/2022. A escolha da melhor semente e manter maquinários bem regulados estão no topo do checklist.

Orientações importantes, que o pesquisador da Embrapa Soja e diretor financeiro da Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (Abrates), Dr. José de Barros França- Neto, dará na live “Aquecimento da Safra” nesta quinta-feira (9), às 20 horas (horário de Brasília), no YouTube e Instagram. O evento é uma realização da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e Unilasalle.

A palestra “Semente e a Produtividade”, apresentada por França-Neto, faz parte de uma série de 10 episódios com diferentes especialistas.

O pesquisador destacará a importância da qualidade da semente na instalação da lavoura. A coordenação e mediação do evento on-line são do professor do professor Rogério Coimbra, da UFMT.

França-Neto ressalta que a semente deve ser vista como uma matéria-prima e não apenas como um insumo.

Ele aponta que dados da Embrapa comprovam que, lavouras iniciadas com sementes de alto vigor, podem ter incrementos na produtividade de 10% a 15%.

 “O produtor, além de contar com uma cultivar apropriada, ter um parque de máquinas de semeadura bem ajustado e bem operado por profissionais treinados, precisa ter uma matéria-prima, a semente, de alta qualidade. Isso vai ser a  base, a estrutura, o alicerce para o  bom desempenho da produção. Entre outras características, a semente tem que ter alto vigor e alta taxa de germinação”, afirma França-Neto.

O pesquisador distribui essas recomendações em quatro pilares importantes:  qualidade fisiológica,  qualidade sanitária, qualidade genética e qualidade física.

“Esses quatro pilares têm de ser respeitados na escolha da semente da cultivar a ser utilizada. O ajuste do maquinário também deve ser observado. A semeadora precisa estar na velocidade correta, semeando na profundidade correta, com um bom sistema de distribuição de sementes, de tal maneira que não tenhamos plantas aglomeradas ou falhas na plantação”, avalia.

França-Neto conclui ressaltando que a escolha de sementes de alto vigor  é um dos pontos principais no planejamento da safra.

“Sementes de alto vigor resultam em plantas de excelente desempenho agronômico, que são as mais produtivas, com bom sistema radicular, parte aérea mais eficaz, que faz melhor fotossíntese, o que vai resultar em maior número de vagens, maior número de sementes por plantas e, consequentemente, maior produtividade”, afirma o pesquisador.

Marilayde Costa/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.