Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os novos valores para os cafés arábica e conilon entram em vigor a partir de 1º de abril

A partir de 1º de abril, os preços mínimos do café arábica e conilon, safra 2020/2021, terão aumento de 0,43% e de 15,31%, respectivamente. O reajuste é baseado na variação do custo de manutenção da lavoura, incluindo insumos, mão de obra e colheita, em relação à safra passada.

De acordo com o diretor de Comercialização e Abastecimento da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Sílvio Farnese, o reajuste integra "a política de sustentação de preço, garante as condições de apoio de preços que garanta ao produtor a sua permanência na atividade, em caso de crise de preço no mercado”.

A medida foi publicada na Portaria Mapa nº 66 ontem (4), no Diário Oficial da União, depois de aprovada pelo Conselho Monetário Nacional.

Arábica

O preço mínimo do arábica subiu de R$ 362,53/60 kg para R$ 364,09/60 kg, referente ao café tipo 6, bebida dura para melhor, com até 86 defeitos, peneira 13 acima, admitido até 10% de vazamento e teor de umidade de até 12,5%.

Conilon

Para o cálculo dos preços mínimos do conilon, o diretor destacou que "os parâmetros considerados foram os mesmos utilizados para o arábica”.

Ele acrescentou que foi estabelecida uma regionalização para o preço do conilon, "em virtude da disparidade do sistema produtivo de Rondônia em relação aos demais estados produtores”.

“Visto que a recente modernização da lavoura no estado de Rondônia, encontrada na reavaliação do sistema produtivo feito pela Conab, gerou aumento expressivo de produtividade com rebatimento no custo médio, constituiu condições para a manutenção do preço mínimo no estado em R$ 210,13/60 kg”, destacou Farnese.

Para os demais estados produtores, exceto Rondônia, o preço do conilon foi de R$ 210,13/60 kg para R$ 242,31 para o café tipo 7, com até 150 defeitos, peneira 13 acima e teor de umidade de até 12,5%.

Os valores (arábica e conilon) são válidos até março do ano que vem.

Preços Mínimos

O café é um dos produtos contemplados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que é uma importante ferramenta para diminuir oscilações na renda dos produtores rurais e assegurar uma remuneração mínima, atuando como balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção e garantindo a regularidade do abastecimento nacional.

A Conab efetiva a PGPM junto ao produtor rural, tendo sob sua responsabilidade a execução dos instrumentos desta política.

Asimp/Mapa

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.