Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Esses produtos também tiveram um peso importante no aumento da produção total de proteína animal

Os bons preços do frango no ano passado e do suíno, em 2014, levaram a abates recordes em 2015. A avaliação é do coordenador-geral para Assuntos da Pecuária do Ministério da Agricultura, João Salomão. Na quinta-feira (17), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o abate de suínos teve alta de 5,7% no ano passado em relação a 2014. Mais de 39 milhões de cabeças foram abatidas – o maior número desde 2005. Já em relação ao frango, o abate cresceu 5,4%, também um recorde (5,79 bilhões de cabeças).

Segundo Salomão, outro fator que explica os bons resultados está na ponta final, ou seja, no consumidor. A carne bovina subiu de preço em 2015, e os brasileiros preferiram comprar frango e carne de porco. “O aumento no consumo de carne de frango é uma tendência mundial como alternativa ao maior custo da carne bovina”, destaca.

Os dados do IBGE mostram que os recordes no abate de suínos e frangos contribuíram para um ligeiro aumento, 1,2%, da produção total de carnes no país em 2015, na comparação com o ano anterior, chegando a 24 milhões de toneladas. O coordenador-geral para Assuntos da Pecuária acrescenta que, nos últimos 10 anos, “aumentamos a produção de carnes em 15%”.

Asimp/Mapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios