Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A maior rentabilidade de grãos, como a soja, tem feito com que os produtores de cana-de-açúcar não renovem as áreas de cultivo da cultura no estado do Paraná. Para a safra 2021/22, a estimativa é que sejam plantados cerca de 507,9 mil hectares, uma redução de aproximadamente 2% em relação ao período passado, quando foram cerca de 518,8 mil hectares destinados à cultura. Mesmo assim, a produção deve se manter estável, ficando próxima a 35 milhões de toneladas, como mostra o 1º levantamento da safra de cana-de-açúcar 2021/22, divulgado, na terça-feira (18), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A estabilidade da produção é consequência da melhoria da produtividade prevista. De acordo com os dados da Conab, os produtores devem passar a colher 68,97 toneladas por hectare frente a produtividade estimada na safra passada de 65,85. Os produtores podem registrar melhora no desempenho das lavouras apesar das condições climáticas desfavoráveis para o desenvolvimento da cultura. O aumento no índice é resultado dos maiores investimentos das usinas em renovação dos canaviais e melhora nos tratos culturais, com utilização de tecnologia mais adequada de manejo.

Subprodutos

Com uma produção de cana estável, a expectativa é que a fabricação de açúcar caia em torno de 3,9%, podendo chegar a um volume próximo a 2,5 milhões de toneladas do adoçante. Em contrapartida, a produção de etanol tende a se elevar com estimativa próxima a 12,2 milhões de litros. Esta elevação ocorre mesmo com a baixa demanda por combustíveis, devido às ações de combate à pandemia, uma vez que o preço do etanol teve reajuste de 77% nos últimos 12 meses – acompanhando as cotações da gasolina.

Safra 2020/21

A divulgação dos dados referentes ao encerramento da safra da cana-de-açúcar no período 2020/21 saiu também nesta terça-feira (18), junto com o 1º levantamento da safra atual. Essa tendência registrada de menor área com maior produtividade já estava presente no ciclo passado. Ainda em 2019, os produtores paranaenses destinaram cerca de 531 mil hectares para o cultivo da cultura. Mas no ano passado esta área ficou próxima a 518,8 mil hectares.

Já o rendimento médio foi 1,8% superior à safra passada. O aumento é significativo no período de 1 ano. A redução da idade média dos canaviais em 4%, resultante do investimento mais adequado em renovação no ano de 2019, é o principal fator do incremento de produtividade. Com isso a produção teve uma pequena redução 0,6%.

Mais detalhes sobre o cultivo da cana-de-açúcar no Paraná e demais estados brasileiros estão disponíveis no site da Companhia.

Ascom/Conab

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.