Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cadeia produtiva da seda é apresentada aos visitantes em unidades e oficinas na Via Rural Fazendinha, durante a ExpoLondrina 2019

A Via Rural Fazendinha traz, pelo terceiro ano consecutivo, a unidade didática “Seda: o fio que transforma”. O projeto é apresentado em dois espaços. Um pequeno barracão mostra aos visitantes toda a cadeia produtiva do bicho-da-seda, desde a larva até a formação do casulo. A unidade têxtil pesquisa sobre o tingimento natural do tecido.

“Seda: o fio que transforma” é um projeto de pesquisa e extensão da Universidade Estadual de Londrina, coordenado pela professora Cristianne Cordeiro, do Departamento de Design. “A minha intenção é que a gente seja reconhecido, no país, como a seda de qualidade. Por isso, o nome Seda Brasil. Ter essa marca de ser a seda de Londrina, agregar valor a ela e gerar renda com isso”, comenta a professor.

O projeto de pesquisa e extensão tem participação de alunos e professores dos cursos de Design Gráfico, Design de moda, Química, Biologia e Zootecnia. A multidisciplinaridade e a interação entre diversas áreas são um fator importante para o funcionamento do projeto. “Quando você fica obtuso, só pensando em um aspecto você não enxerga o que pode acontecer”, aponta Cristianne Cordeiro.

O projeto visa destacar a produção da seda londrinense, que conta com parceria com a Bratac (Fiação de Seda de Londrina), Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), Abraseda (Associação Brasileira da Seda), Apeiex (Fundação Araucária) e Sociedade Rural do Paraná.

(Texto produzido por aluno do 4º de Jornalismo da UEL, em projeto de Assessoria de Imprensa para a Via Rural, sob a supervisão do professor Reinaldo César Zanardi.)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios