Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A divulgação foi antecipada para dar mais tempo para o planejamento da safra

Em continuidade às ações do Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), foram publicadas no Diário Oficial da União, as portarias que aprovaram o Zarc da cultura do Feijão 1ª safra para 14 estados. Neste ano, a publicação das portarias foi antecipada para permitir que produtores rurais, assistência técnica, agentes financeiros, seguradoras e demais entidades que utilizam os indicativos do Zarc possam ter mais tempo para o planejamento da safra.

O Zarc indica as melhores janelas de plantio por município, tipo de solo, em três níveis de risco: 20%, 30% e 40%. Também são divulgadas as cultivares classificadas por grupos de características homogêneas, de acordo com o número de dias da emergência à maturação fisiológica.

As informações podem ser acessadas por meio do site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Produção

Conforme a Conab, em seu acompanhamento da safra brasileira de abril de 2020, a produção de feijão 1ª safra da temporada 2019/2020 ficou em 1,07 milhão de toneladas. Na primeira safra deste ano, a área é estimada em 926,5 mil hectares, o cultivo do feijão das águas ocupa 70% da área total cultivada com feijão.

Aplicativo

Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar por meio de tablets e smartphones as informações oficiais do Zarc, ferramenta utilizada para orientar os programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível no sistema Android.

Zarc

O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados aos problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

O modelo agrometeorológico considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e ainda poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas.

O Zarc foi publicado pela primeira vez na safra de 1996 para o trigo. Hoje contempla os 26 Estados e o Distrito Federal, incluindo mais de 40 culturas.

Asimp/Mapa

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios