Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com 1,9 milhão de hectares extras, cultura teve área ampliada além do previsto. Colheita tende a crescer 11,2% e atingir 91,05 milhões de toneladas da oleaginosa, prevê a Expedição Safra. São 2 milhões a mais do que o volume alcançado pelos Estados Unidos
 
Giórgia Gschwendtner/Asimp
 
O Brasil chega ao final do plantio da safra de verão 2013/14 com todas as condições para atingir 125,89 milhões de toneladas de soja e milho, aponta levantamento da Expedição Safra. O incremento deve ser de 9,15 milhões de toneladas na oleaginosa (11,2%, totalizando 91,05 milhões de toneladas), volume bem maior que o do recuo de 1,11 milhão de toneladas no milho (-3,1%, para 34,84 milhões de toneladas), concluíram os técnicos do projeto.
 
Na reta final da semeadura, houve incremento na área da oleaginosa, que já era recorde e agora soma 29,49 milhões de hectares, com expansão de 7%. O milho, por sua vez, recua 9,5%, para 6,9 milhões de hectares.
 
O plantio cresceu em todas as regiões do país. Com isso, o Brasil ganha condições de ultrapassar o atual líder mundial na oleaginosa, os Estados Unidos (EUA). A vantagem tende a ser de 2 milhões de toneladas na colheita e de mais de 4 milhões de toneladas nas exportação.
 
Oleaginosa em alta
 
O Centro-Oeste foi o grande destaque na ampliação das lavouras de soja no Brasil, com 43% do incremento de 1,9 milhão de hectares. Mato Grosso acrescentou 550 mil hectares e os demais estados da região (Mato Grosso do Sul, Goiás e o Distrito Federal) outros 274 mil ha. Os 820 mil hectares extras representam expansão de 6,4% na região.
 
Houve forte avanço também na região que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (MaToPiBa), o Centro-Norte. Mesmo com a seca que atingiu a nova fronteira no ano passado, o setor produtivo manteve seus planos de expansão, com avanço de 8,8%, para 3,13 milhões de hectares.
 
Dos 91,05 milhões de toneladas de soja a serem colhidos, 26,46 milhões devem sair das lavouras de Mato Grosso, maior produtor nacional. Num ano de crescimento em todas as regiões, o estado mantém sua participação de 28,5 % no plantio e de 29% na produção da oleaginosa.
 
Cereal em baixa
 
Por outro lado, o milho teve sua área reduzida. Paraná e Goiás puxaram o recuo com a substituição do cereal pela oleaginosa. A diminuição das áreas do milho pelos produtores paranaenses chegou a 19,80%.
 
Na análise do coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira, os produtores brasileiros vêm acompanhando com atenção os preços no mercado internacional para determinar os rumos da produção nacional. “Eles apostaram na expansão da soja influenciados pela demanda global aquecida, mesmo com os norte-americanos retomando a produção”, avalia.
 
A retomada da produção dos EUA em 2013/14 e o grande volume colhido no inverno no Brasil corroeram as cotações do milho no mercado brasileiro. Em vista disso, se tornou mais interessante para o agricultor brasileiro cultivar soja, que oferece também maior liquidez.
 
Sondagem
 
O levantamento técnico-jornalístico Expedição Safra acompanha as potencialidades do plantio à colheita de grãos desde 2006/07 e nesse período verificou que a produção nacional de grãos cresceu perto de 70 milhões de toneladas, passando de 131,75 milhões de toneladas até atingir potencial para 200 milhões de toneladas para essa safra – um crescimento de mais de 50% nos últimos oito anos.
 
As equipes da Expedição retomam as atividades de campo na fase da colheita a partir de janeiro, percorrendo 14 estados brasileiros, além de realizar no próximo ano o roteiro extraordinário para a África.  Para mais informações, acesse: www.expedicaosafra.com.br.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios