Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Quando os interesses políticos estão em jogo, vale tudo. No caso, o PTB acionou o STF para que este impeça a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado.

Se o Art. 57 § 4º da Constituição Federal constasse de uma pergunta em concurso público para saber se é possível a reeleição dos presidentes das Casas Legislativas, naturalmente os candidatos dariam com resposta certa, baseado no texto constitucional, que não seria possível. E assim responderiam aqueles de mediana cultura.

Ora, a Carta Magna de 1988 deve valer para todos, inclusive para os próprios parlamentares. Os artigos da Constituição são para serem aplicados e não para serem interpretados ao sabor dos interesses da política dominante.

O ex-presidente do STF, Nelson Jobim, argumentou em entrevista a jornal que a reeleição no Congresso “é desconsiderar a Constituição Federal”. “Tem regras expressas na Constituição (contra a reeleição)”.

Assim, causa perplexidade o Supremo se debruçar sobre matéria incontroversa, que pode interferir no espírito do legislador ao cunhar a regra.

Se o STF decidir pela reeleição dos membros do Congresso Nacional, dando nova interpretação ao texto constitucional, fica aberta a possibilidade de serem contestadas as demais exegeses até agora feitas sobre os artigos da Constituição. A Constituição não pode ficar a mercê de interpretações para agradar interesses de quem quere que seja.

Júlio César Cardoso - Servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC - juliocmcardoso@hotmail.com

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.