Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Se você é mulher ou convive com uma, provavelmente já observou ou sentiu os efeitos do cansaço que tem nos atingido nos últimos tempos! Estamos constantemente agitadas, fazendo ou planejando algo, e isso fica mais evidente com as mudanças causadas pela pandemia da Covid-19, onde muitas tiveram que se desdobrar, para conciliar as atividades da casa, a atenção à família e o trabalho em modo home office. De maneira geral, nós mulheres, já éramos responsáveis pela maior parte das atividades domésticas, contudo as exigências da pandemia acabaram gerando uma sobrecarga mental e com isso criando ou acentuando diversos sintomas, como angústia, excesso de preocupação, pensamentos acelerados, medos e cansaço físico constante. A questão é, o que podemos fazer para sanar ou pelo menos aliviar esta situação?

Certamente não existe uma resposta pronta e universal, mas o primeiro passo talvez seja reconhecer que o excesso de responsabilização das mulheres não é algo natural. “A mulher não foi criada para a funcionalidade”, ensina o Papa Francisco, ela é harmonia e ternura. Reconhecer que não fomos pensadas simplesmente para fazer coisas, mas para ser sinal do amor no lugar onde estamos, contribui diretamente com o projeto de Deus a respeito da vocação da mulher. O segundo passo pode ser, procurar fazer uma coisa de cada vez e dentro das nossas reais possibilidades, isso é fundamental para que aconteça a transformação harmônica que consciente ou não, toda alma feminina deseja.

Por outro lado, também é importante considerar que no cansaço está a oportunidade de crescermos em intimidade com Deus, numa vida ordenada para o amor. Às vezes, Ele permite que sejamos provadas, para alcançarmos a grandeza à qual Ele nos destinou. Assim como o ferro adquire a forma de uma bela obra de arte depois de passar muitas vezes pelo fogo e pela água e de receber os ajustes necessários pelas mãos do artista, nós também, ao passarmos pelo “fogo das provações” cotidianas e sermos banhadas pela água viva do Espírito Santo, vamos sendo moldadas pelas mãos do grande artista que é o próprio Deus e nos tornamos a mulher forte e terna que somos chamadas a ser.

Santa Edith Stein, expressa bem essa realidade, quando descreve de maneira singular sua visão a respeito do papel da mulher na humanidade: “A alma da mulher deve ser ampla a tudo o que é humano. Deve ser cheia de paz, porque as fracas chamas se apagam na tempestade; deve ser quente para não enregelar as pequeninas sementes; deve ser luminosa para que, nos cantos escuros, não cresçam ervas daninhas… Deve ser, acima de tudo, dona de si e do próprio corpo para que sua personalidade esteja sempre pronta a servir em cada necessidade”.

Conheço várias mulheres de alma assim, bem ampla, e pode até ser que você seja uma delas! Porém, se hoje o que sobressai em sua vida é o cansaço, tudo bem. Não se culpe. Deus nos ama e nos compreende independente do estado em que estamos. Por outro lado, é sempre uma grande graça podermos unir nossas fragilidades  à Sua força. Aliás, é assim que florescemos! Esta experiência faz brotar do nosso coração novas atitudes, pensamentos e atos impulsionados pelo amor que recebemos. E assim, sabendo que somos incondicionalmente amadas, podemos oferecer nosso melhor ao mundo e buscarmos nossos próprios sonhos, na certeza de que não estamos sozinhas, pois Deus está conosco e alivia nossos fardos. “Vinde a mim, vós que estais cansados, e eu vos aliviarei” (Mt 11,28). Alicerçadas nessa verdade, você e eu podemos vencer todo o cansaço e florescermos por onde formos!

 Dijanira Silva é missionária da Comunidade Canção Nova, autora dos livros “Tenha um ótimo dia! – Palavras de encorajamento e fé”, “Por onde andam seus sonhos?” e “Você Não está sozinha”, pela Editora Canção Nova, e apresentadora da Rádio América em São Paulo, e do programa “Florescer”, pela TV Canção Nova.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.