Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

De forma recorrente o presidente Jair Bolsonaro vem desrespeitando com as suas piadas irreverentes a sociedade brasileira. E isso já se tornou rotineiro, mas tem que ter um basta.

Sem postura de estadista e com comportamento preconceituoso, Bolsonaro faz piada no Maranhão ao tomar um copo de Guaraná Jesus, bebida típica estadual cor-de-rosa: “Virei boiola igual a maranhense”.

Sarcástico metido a engraçado. Bolsonaro devia ser convidado a se apresentar em circo. E ainda há imbecis que dão  audiência a esse sacripanta. 

Espera-se que o governo maranhense e seus políticos ingressem com representação processual de crimes de homofobia, racismo e difamação  praticados por Bolsonaro contra o povo maranhense. 

Lamentavelmente, elegemos um cidadão que não prima pela liturgia do cargo e comporta-se como parvajola desrespeitando as regras básicas de  cidadania. 

Durante visita do presidente à Bahia para inaugurar a usina de Sobradinho, Bolsonaro fez considerações jocosas em tom de brincadeira, dentro de seu estilo, respondendo ao deputado Cláudio Cajado (PP-PE), que o saudava por visitas reiteradas ao Nordeste: “Só tá faltando crescer um pouquinho a cabeça”, referindo-se ao estereótipo de que nordestino tem “cabeça chata”.

Em vídeo que circula nas redes sociais, o presidente Bolsonaro chama o Nordeste de ‘paraíba’, de forma pejorativa. "O trecho do vídeo foi divulgado pelo perfil oficial do PCdoB no Twitter e por outros integrantes da oposição, como os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), Paulo Teixeira (PT-SP) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC)."Fonte Jornal Gazeta do Povo.

Em outro vídeo, Bolsonaro faz piada com a cabeça do nordestino, tirando sarro com a sua proverbial destemperança verbal: https://poenaroda.com.br/comportamento/politica/em-video-bolsonaro-faz

Parafraseando o escritor Raimundo Correia, Bolsonaro guarda secreto o pavilhão da maldade que conforta o seu ego delirante de espezinhar o seu semelhante. Com as suas tiradas sarcásticas de ser superior, talvez, consigo, guarda um atroz, recôndito inimigo, como invisível chaga cancerosa. E quem sabe esse atroz inimigo não seja um trauma psicológico sofrido na infância ou adolescência? Ainda é tempo de se tratar.

Assim, essa incompreensível ojeriza homofóbica e racial que de forma ululante permeia o seu cérebro deveria ser patologicamente investigada pelo presidente, principalmente agora que tem ao seu dispor todo um aparato médico-hospitalar.

O que não pode é a sociedade continuar a assistir calada aos desrespeitos gratuitos do presidente da República ao tratar os indivíduos e as instituições de forma incivilizada.

Os contrapassos e derrapadas de um mandatário na condução do país só podem agravar o estabelecimento da convivência e da paz social.

Espera-se que o comportamento antissocial e desrespeitoso do presidente Jair Bolsonaro seja levado à instância superior da Justiça. 

Júlio César Cardoso - Servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC -

juliocmcardoso@hotmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.