Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ainda na época da minha segunda graduação, conheci uma estória que tem uma relação direta com o que estamos vivendo nesse momento: trata-se do caso da vaquinha.

Antes, contudo, quero pedir desculpas ao autor da obra por não o citar aqui e vou explicar a razão: não consigo lembrar o seu nome. Fiz até pesquisas, mas nada encontrei. Se alguém conhecer a estória e souber o nome do autor, peço que me informe.

Creio que você está curioso para conhecer o caso, não é mesmo? Então vamos a ele. De uma maneira reduzida, a estória relata o seguinte caso:

Um mestre e seu discípulo faziam as suas andanças espalhando sabedoria pelo mundo. Chegaram em uma região muito pobre. Nela só havia uma família, igualmente pobre. O mestre perguntou ao proprietário do  local, como eles sobreviviam. E assim, soube que no local havia uma vaquinha que produzia três litros de leite por dia. Um desses litros era  direcionada ao consumo da família e os outros dois, trocados por mantimentos em uma cidade próxima.

Ao saírem, e sem que o dono da vaquinha soubesse, o mestre mandou o seu discípulo empurrar o animal em um precipício e esse assim o fez, e seguiram o caminho. Os anos passavam, mas o discípulo não se perdoava pelo ato que tinha cometido. E assim, resolveu voltar ao local para pedir desculpas à família. Chegando lá, encontrou tudo diferente: uma bela casa muito bem mobiliada, com jardim, carro na garagem, pessoas bem alimentadas e bem vestidas. Surpreso, o discípulo perguntou o que tinha acontecido e soube que, com a morte da vaquinha, eles procuraram novas atividades e isso trouxe o progresso da família.

Fiquei pensando nessa estória e me questionei: será que o Corona vírus não pode ser o tal “mestre” que está “matando” a nossa vaquinha, ou seja, o nosso negócio? Será que não estamos sendo obrigados a sairmos da zona de conforto que estávamos? É possível fazer essa relação?

Observo que as empresas que se reinventaram, em tão pouco espaço de tempo, são aquelas que efetivamente estão conseguindo não apenas sobreviver: algumas estão até conseguindo crescer!

Isso comprova que o agora pode ser uma grande oportunidade de crescermos. Busco sempre encontrar algo positivo nas mais difíceis experiências que vivo. Assim, penso que é o momento de nós nos reinventarmos. De fazermos  um novo começo. Um começo estruturado, adequado ao novo momento.

Com todo o respeito às pessoas que foram vítimas deste vírus e aos seus familiares, quis trazer essa reflexão. O meu intuito é tão somente tentar ajudar os empresários a mudarem um pouco o foco. A encorajá-los a encontrar algo positivo, pelo menos no lado profissional,  em situação tão delicada, como essa que estamos vivendo no momento.   

Espero que assim eu seja entendido e que a cura chegue rapidamente.

Odilon Medeiros - Mestre em Administração, Especialista em Psicologia Organizacional, Coach, Pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em Vendas, consultor e palestrante. www.odilonmedeiros.com.br / E-mail: om@odilonmedeiros.com.br / Instagram: @odilonmedeirosconsultor

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.