Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Sexólogo traz dicas para manter uma vida sexual blindada ao Covid-19

Isolamento social: esta é a medida que as pessoas no Brasil e no mundo estão adotando como forma de contenção à propagação do Coronavírus.  Em meio aos dias de confinamento, as pessoas têm tido de ser criativas para buscar entretenimento.

A masturbação; prática recomendada na rotina habitual das pessoas, e que comprovadamente faz bem à saúde, agora pode ser uma aliada durante a quarentena. Mas, a dúvida que impera entre as pessoas é: E o sexo? Está liberado fazer sexo em tempo de coronavírus?

A partir do princípio da necessidade de distanciamento social e da recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) de manter, pelo menos, dois metros de distância das pessoas, compreende-se que, assim como beijos e abraços, o sexo também está incluído.

Segundo o urologista e sexólogo Danilo Galante, não há estudo que cite que é possível contrair coronavírus por relações sexuais, porém o risco está na aproximação dos corpos, uma vez que o vírus é transmitido por gotículas de saliva.

Quem precisa fazer abstinência sexual?

Pessoas que pertencem ao grupo de risco, como profissionais da saúde, por exemplo, e pessoas que estiveram com outras pessoas, declaradamente infectadas. De acordo com Galante, além da abstinência sexual, a orientação nesses casos é para que os parceiros durmam em quartos separados e se possível, em casas diferentes, além de evitarem dividir qualquer objeto de uso pessoal. Quem não tem parceiro fixo também deve optar por se preservar neste momento e evitar qualquer tipo de proximidade, uma vez que o simples fato de ir a um encontro, já é condenável pelo motivo de que, para isto acontecer, é necessário sair de casa.

Quarentena juntos

Nem para todo mundo tudo está perdido sexualmente falando. O cenário muda quando trata-se de casais que moram na mesma casa e estão fazendo isolamento juntos. “Se as duas pessoas estão na quarentena e se não apresentam qualquer tipo de sintoma, a OMS entende que não há riscos na prática sexual. Na verdade, este talvez seja um bom momento para se aproximar e ter mais contato com o par ou até se reinventar e aproveitar o tempo juntos para se redescobrir. Se saudável, o casal pode ir fundo nas fantasias, nos brinquedos e nos jogos sexuais”, afirma Galante.

Namoro à distância é permitido

O sexólogo recomenda que a quarentena é uma boa ocasião para estimular o contato na rede social. Para os solteiros, ou aqueles que estão afastados do seu parceiro, aplicativos de paquera, conversas apimentadas e trocas de nudes são uma boa pedida!

Dr. Danilo Galante – Formado em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) com especialização em Urologia pela UNESP. Pós-graduado em Cirurgia Robótica pelo Hospital Oswaldo Cruz – SP, além de Fellow Observer of Johns Hopkins School of Medicine Brady Urological Institute Laparoscopic and Robotic Urologic Surgery e doutorado na USP. Membro titular da Sociedade Brasileira  de Urologia e Instrutor do ATLS (Advanced Trauma Life Support), atua em áreas diversificadas como Cálculos Urinários; Infertilidade (incluindo Reversão de Vasectomia), Disfunção Sexual e Cirurgia Robótica. Site: https://drdanilogalante.com.br/

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.