Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estamos de quarentena.

Mesmo que não seja aquela quarentena! Já que é preciso trabalhar para quem tem trabalho e realizar as necessidades básicas do dia a dia que incluem sair de casa de vez em quando.

Entretanto, tem muita gente que está pouco se lixando para quarentena, são os autointitulados “Anti-covid”, aqueles que tem absoluta certeza que nunca serão infectados e com isso, dá-lhe passeios, festinhas, churrascos etc.

Mas, não é bem sobre esses supostos e equivocados super-heróis que escrevo, e sim sobre aqueles que na medida do possível cumprem o isolamento social (que acostumamos chamar de quarentena) e se preocupam, não só em si mesmo, mas também com as outras pessoas.

É o caso do Waldemar.

Waldemar sempre fora um rapaz um tanto tímido, porém, pouco antes da pandemia chegar ao Brasil, ele decidirá tomar uma atitude drástica em sua vida e a partir daquela ocasião não ficaria mais sozinho, pois a solidão sempre fizera parte de sua vida devido principalmente à baixa-autoestima e a timidez desde criança.

Cortou o cabelo com estilo, comprou roupas transadas, perfumes importados, trocou o Corsinha por um Golf 2005 que ainda vai pagar mais 36 prestações e se preparou para as baladas e noitadas onde colocaria em prática todas cantadas e a arte da conquista que aprendera no Youtube.

E no início de março, o rapaz já se imaginava em meio a mulherada, ou quem sabe, conquistaria o coração de uma princesa que lhe chamaria de meu príncipe encantado e viveriam felizes para sempre.

Mas então, chegou o coronavírus e com ele a quarentena.

Waldemar, que mora com os pais, não pode ficar saindo a noite, até porque poucos estabelecimentos estão abrindo e o coitado ainda não conseguiu dar um beijinho sequer.

E o pior é que agora ninguém está muito interessado em beijar alguém, com isso as possibilidades de Waldemar diminuem ainda mais.

Coitado do Waldemar, esperou tanto para poder se tornar um conquistador, e agora tem que ficar trancado em casa, sem saber quando vai poder enfim vestir suas roupas maneiras, seu perfume Jean Paul Gaultier e dar uns roles em frentes aos bares da cidade com seu Golf cinza prata conquistando a mulherada.

Enquanto isso, ele vai aprendendo mais técnicas para conquistar mulheres, assistindo vídeos no Youtube, esperando a pandemia passar.

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores. rodrigojacutinga@hotmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.