Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Na triste e desastrosa administração de Jaime Lerner no Governo do Paraná foi instituída 26 praças de pedágio, num contrato nefasto que promoveu o maior roubo da história desse país. Os paranaenses estão pagando há mais de três décadas a tarifa pedagiada mais cara do país, como que num passo de mágica essa unidade estadual solucionasse todos os problemas de conservação, além de novas construções de pavimentação asfáltica, o que não aconteceu. O desvio foi tão assombroso que o Ministério Público fez uma devassa nesses valores fazendo as concessionárias pagarem multas milionárias, numa espécie de confissão de dívida e, mesmo assim, a população continua relegada numa plano secundário. Agora com o vencimento contratual dessa roubalheira toda, já estão projetando a renovação com um modelo que poderá destruir definitivamente a economia paranaense.

A renovação desse imbróglio deverá exigir maior atenção das autoridades constituídas do Estado para que esses valores possam ser praticados semelhante à Santa Catarina que tem cobrado em torno de 3 reais em cada praça, diga-se de passagem com um pavimento de fazer inveja para os mais sofisticados do mundo, enquanto nas estadas paranaenses, com pistas deterioradas se pagam acima de 20 reais, como se o povo tivesse com os bolsos abarrotados de dinheiro. Para diminuir os preços, o governo federal fez uma contraproposta para diminuir em torno com o maior desconto numa proporção de 60 por cento, ainda é muito pouco, porque estão cobrando uma contrapartida para a instalação de mais 15 pontos de cobrança. A grande verdade é que isso tudo está cheirando mal. Não é possível um estado que já paga o maior piso salarial do país, possa pagar por mais essa carga tributária que além de cobrar mais da classe empresarial, ainda poderá provocar um maior número de desempregos, uma consequência normal em fazer economia para ficar vivo.

Observamos que apenas o deputado TercilioTurini, se manifestou incansavelmente para que seja reduzida de forma vertiginosa essa imoralidade que acontece em nossas estradas.

Antes da concretização FATOS DO PARANÁ foi o único veículo de comunicação que brigou contra a instalação do pedágio no Paraná, porque já existe esse imposto, o IPVA. Como já comentamos, uma andorinha apenas não faz verão. Turini, pelo que foi dado observar também é o único que está lutando contra essa imoralidade. Pode até ter alguns parlamentares com ele, mas, ainda é muito pouco. A sociedade precisa se mobilizar para que não fiquemos sozinhos nessa luta.

Edilson Elias é jornalista, escritor, historiador do Paraná, diretor presidente do jornal FATOS DO PARANÁ e membro da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina - edilsonelias@yahoo.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.