Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Teodoro era um homenzarrão com barba espessa por fazer e potente voz de trovão. Tirava sarro de todo mundo, se gabava por ter uma saúde de ferro e nunca precisar ir ao médico.

Certa vez Teodoro foi roubar mangas na beira da estrada e acabou se ferindo na canela ao passar por uma cerca de arame farpado.

O ferimento foi fundo. Sua esposa Aurora, ao ver aquilo e temer algo pior convenceu o marido a ir no Pronto Socorro pela primeira vez.

- Um risquinho de nada doutor. É só passar um Merthiolate que sara – Disse Teodoro confiante ao médico.

- Pode até ser, mas vou receitar uma antitetânica só para garantir.

Teodoro ficou mudo por alguns instantes, olhou para o médico:

- Isso é injeção doutor?

- Sim. Uma injeção só para prevenir...

- Não precisa! Eu sou lá homem de pegar tétano? Não precisa não!

Uma enfermeira entra na sala para aplicar e Teodoro encosta-se na parede.

- Doutor, já estou bom. Vamos deixar para lá esse negócio de injeção.

- Não vai me dizer que tem medo de uma injeçãozinha dessas.

Teodoro balança a cabeça para lá e para cá. Fica repetindo:

- Injeção não! Injeção não!

Aurora assustada e constrangida com a reação do marido tenta acalma-lo:

- Teodoro essa injeção não vai doer nada!

- Não vai doer porque não é na sua bunda!

Dois enfermeiros chegam na sala e Teodoro fica mais apreensivo:

- Calma lá gente! Sem violência! Sem violência!

A enfermeira com a injeção na mão se aproxima. Porém, Teodoro consegue fugir e entrar num banheiro. Ficou lá dentro por longo tempo. Após arrombarem a porta perceberam que o homem havia fugido pela janela.

A cidade movimentou na procura de Teodoro para que tomasse a injeção.

Teodoro por sua vez conseguiu fugir e após muitas caronas chegou em São Paulo onde embarcou clandestinamente num avião de carga para a Rússia.

Ao chegar em Moscou, sem blusas, Teodoro pegou uma grave pneumonia e ficou internado por mais de um mês.

Quando a família descobriu seu paradeiro, pediram à Embaixada Brasileira em Moscou para traze-lo de volta.

Ao retornar para a cidade, muitas pessoas o esperavam na rodoviária, inclusive a enfermeira com a injeção antitetânica na mão.

- Senhor Teodoro, agora podemos aplicar a injeção?

Teodoro abaixou a calça na frente de todo mundo e mostrou a nádega:

- Essa injeçãozinha não é nada para quem pegou pneumonia na Rússia e teve que tomar vinte e cinco Benzetacil na bunda!

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.