Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em tempos de consumismo desenfreado, intolerância, preconceitos, desrespeito e agressões, hipocrisia e “customização da fé”, a celebração do Dia Mundial da Religião é uma oportunidade de reflexão. A data comemorativa foi proposta pela primeira vez pela Assembleia Espiritual Nacional da fé bahá'í, uma religião fundada por Bahá'u'lláh (1817-1892), na região da Pérsia.

Esse encontro, realizado pelos bahá’í dos Estados Unidos da América (EUA) em 1949, deliberou que o terceiro domingo do mês de janeiro seria dedicado a celebrar a harmonia entre os princípios espirituais das religiões do mundo. Como a data é móvel, no Brasil pode coincidir com o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, no dia 21 de janeiro.

Comemorado inicialmente em algumas cidades e estados americanos, o Dia Mundial da Religião se estendeu para outros países ao longo dos anos. Contudo, a proposta dos bahá’í não é isenta de críticas, pois tem como base um universalismo religioso. Seu objetivo é promover a paz e a harmonia entre as religiões ao considerar seus elementos comuns, suas regras de ouro, visando a superação de todo tipo de preconceito e intolerância. Assim, a humanidade poderia trilhar os caminhos da paz.

As ideias que cunharam essa data comemorativa vão ao encontro da necessidade contemporânea de promover uma educação para a paz. Entre os desafios de nossa sociedade, está superar a miséria e a fome, diminuir as desigualdades, cuidar do planeta, superar preconceitos e respeitar a diversidade. Em suma, valorizar e promover o ser humano e a humanidade.

O enfrentamento desses desafios demanda conscientização e a promoção de uma educação que cuide do ser humano considerando todas as suas dimensões. Diante do individualismo e da egolatria que marcam o cenário contemporâneo, promover uma educação para paz de valorização e respeito pelo outro, independente de sua religião e outras singularidades, tornam-se ações imprescindíveis.

Dr. Luís Fernando Lopes, filósofo, teólogo e professor de Área de Humanidades do Centro Universitário Internacional Uninter.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.