Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou, ontem (14), a presença de militares na cúpula do Ministério da Saúde, e disse que o presidente Jair Bolsonaro "se esquece" de uma decisão da Corte que determina que a gestão do serviço de saúde deve ser compartilhada entre o governo federal, estadual e municipal. Fonte: Estado de Minas.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao  tentar minimizar as críticas de Gilmar Mendes, afirmou: “Foram palavras duras, mas acho que o que ele quis dizer foi muito mais preocupação pela imagem que o Exército tem do que um ataque às Forças Armadas. O ministro Gilmar Mendes tem atuado de forma independente e com boas decisões nos últimos anos. Temos que respeitar”.

Pode-se não gostar do ministro Gilmar Mendes. Mas ele está coberto de razão ao criticar a presença dos militares da ativa no Ministério da Saúde. Lugar de militares da ativa não é no exercício de função pública civil.

Por outro lado, é uma vergonha que até hoje a pasta ministerial da Saúde esteja acéfala. Mas a obviedade da razão está em tentar o governo encobrir a realidade dos efeitos da Covid-19 no país, por interesses políticos.

Ademais, pela Constituição, a União,  o Distrito Federal, os Estados e os Municípios têm responsabilidade compartilhada nas ações referentes às políticas de saúde. Em recente decisão, o STF confirmou competência concorrente dos entes federativos para combater a pandemia da Covid-19, o que vem corroborar a cota de responsabilidade do governo federal.

O ministro Gilmar Mendes não tem que se retratar de coisa alguma. Gilmar Mendes, neste caso, comportou-se simplesmente como um porta-voz da sociedade, sem compromisso político com ninguém, que não concorda com a ingerência militar na pasta da Saúde.

Júlio César Cardoso - Servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC   juliocmcardoso@hotmail.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.