Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com relação à Aposentadoria por Invalidez, pós reforma chamada de “Aposentadoria por incapacidade permanente”, as regras mudaram, principalmente quanto ao valor do benefício.

Antes da reforma da previdência o segurado se aposentava por invalidez com 100% da média salarial (de julho de 1994 até a aposentadoria), sem incidência de fator previdenciário.

Agora, após a reforma da previdência, o valor da “Aposentadoria por Incapacidade Permanente”, segue os mesmos moldes da aposentadoria por idade, qual seja:

a)       60% da média dos salários de contribuição, com o aumento de 2% para cada ano de contribuição que ultrapassar o tempo de 20 anos, para os homens, ou que ultrapassar 15 anos, para as mulheres, até o limite de 100%. Assim mulheres terão que contribuir por 35 anos para conseguir atingir 100% da média contributiva, e os homens, por 40 anos;

b)       O cálculo do valor inicial da aposentadoria terá por base a média de todos os salários de contribuição. Com a reforma, a aposentadoria será calculada com base em 100% dos salários, antes eram usados só os 80% maiores salários, desde julho de 1994 até a data da aposentadoria, descartados os 20% menores;

c)       Pode acontecer do auxílio-doença, que ficou em 91% da média contributiva do segurado, ser maior do que a Aposentadoria por Incapacidade Permanente (Aposentadoria por Invalidez), tendo em vista a forma de cálculo diferenciada de ambos. Um será concedido com 91% da média e outro com 60% mais 2% por ano, como relatado no item a. supra.

A Renda Mensal Inicial (RMI) continua em 100% do salário de benefício, independentemente do tempo de contribuição, para os casos de aposentadoria por invalidez por acidente do trabalho, doença do trabalho e profissional.

Caso o segurado comprove que já completou todos os requisitos para se aposentar antes da reforma (incapacidade permanente, carência e qualidade de segurado), possui direito adquirido ao benefício nos moldes da regra anterior.

Importante mencionar que todo benefício por incapacidade é válido enquanto persistir a incapacidade.

Renata Brandão Canella, advogada - Londrina - Paraná

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.