Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As bandeirinhas coloridas estão guardadas, o sanfoneiro silencioso usa máscara, o arrasta-pé foi cancelado. Quem nunca nesta época do ano vivenciou das mais variadas formas, dependendo da região, a alegria intensa de uma das mais contagiantes festas tradicionais do nosso país?

Cidades inteiras do interior do nordeste vivem o ano todo esperando por este momento. Mas, hoje, das janelas de suas casas, seus moradores olham o palhoção vazio. Os barcos de fogos em Sergipe, que começam a ser confeccionados meses antes, estão empoeirados. A cidade do forró e o cuscuz gigante em Caruaru terão que esperar.

Será que não há nada para refletir? Vejamos: a festa junina é um acontecimento que irradia harmonia, você já percebeu? Na apresentação da quadrilha, por exemplo, todos os integrantes precisam dançar no mesmo compasso, senão pode ser um desastre. Cada par precisa sentir a música, seguir a mesma coreografia e, após inúmeros ensaios, o que se vê é um espetáculo de integração, ritmo e coordenação, várias pessoas ao mesmo tempo dançando.

Em tempos de pandemia, uma das lições desta tradição não seria refletir sobre o valor e a importância de estarmos no mesmo compasso com o outro? Mesmo que separados, cada um do seu lugar? Cada um deve esforçar-se para acompanhar e entender o ritmo do outro, como sinal de respeito e empatia, para que, no fim, a apresentação seja harmônica! Do contrário, pode ser um desastre.

Não poderia também esta tradição nos ensinar que a fogueira acesa, que este ano não será possível, ganhe um novo significado e seja incendiada com o fogo do amor em nossos corações? Como dizia a música que tanto embalou nossas festas: "São João, São João, acende a fogueira do meu coração." E desta vez, as nossas mesas fartas de comidas típicas, precisam dar a vez ao arroz e feijão na mesa de quem realmente precisa.

Em 2020 estamos sendo convidados pela vida a ressignificar a festa de São João! E certamente quem passar por isso e deixar que a fogueira de São João aqueça e transforme sua alma de verdade, nunca mais vivenciará as próximas festas juninas da mesma forma. Porque saberá o valor de não tê-la e saberá também o valor do seu sentido mais profundo.

Renata Vasconcelos Leal é missionária da comunidade Canção Nova e apresentadora do programa Manhã Viva, exibido pela TV Canção Nova.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.