Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A tabela do Imposto de Renda não é revisada desde 2015. Apesar de prometer, o governo federal não atualizou a tabela do Imposto de Renda desta ano e a defasagem em relação à inflação já está em 113,09%. Isso significa que nós, os contribuintes, pagamos mais devido aos tributos indiretos incluídos nas mais diversas despesas. É um aumento de imposto. Não há outra maneira de descrever a situação.

Também há a questão da inflação acumulada, que se arrasta ano após anos. Somente em 2020, a inflação oficial foi de 4,52%. Enquanto não houver revisão da tabela do IR, a defasagem aumenta sem parar. Em que ponto chegará?

Sem revisão adequada, cerca de 10 milhões de pessoas que deveriam estar isentas do Imposto de Renda estão obrigadas a fazer declarações anuais. São esperadas 32 milhões de declarações. A isenção vale apenas para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês, sendo que o certo seria para os que ganham até R$ 4.022,89.

Veja bem. Há casos de pessoas que terão de devolver o valor do auxílio emergencial. O quão absurdo é isso? Sem falar que o teto salarial de muitas profissões essenciais, como auxiliares e técnicos de enfermagem, está na casa dos R$ 3 mil. É um absurdo retirar parte da renda de pessoas que deveriam estar isentas do IR – ainda mais de profissões tão importantes. A atualização da tabela é mais que necessária.

Chega de promessas não cumpridas. A cada ano as despesas aumentam mais. Vamos esperar chegar aos 200% de defasagem para fazer alguma coisa?

Antonio Tuccilio, presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.