Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As seguidas interferências do Supremo Tribunal Federal (STF) vêm impactando negativamente a vida do país em vários sentidos. Trata-se de um Poder essencial para a manutenção do Brasil, mas os 11 ministros fecham os olhos para determinados casos e escancaram outros, inexplicavelmente. Um entre vários exemplos diz respeito ao ex-presidente e o ocorrido em uma das maiores estatais do país, a Petrobrás.

Já foi provada diversas vezes a ligação do ex-mandatário da nação com corrupção e prejuízos de bilhões. É desanimador ver que o STF decidiu não aceitar as provas apresentadas, por mais evidentes que sejam. Além de inexplicável em si, essa postura abre caminho para a impunidade de um dos episódios mais tristes da história do país.

Felizmente, nem todos deixam se levar pela cegueira ou adoração a quem prejudicou o Brasil de maneira tão avalassadora. Merecemos figuras públicas que lutam contra a corrupção, que não fecham os olhos para uma situação tão clara. Fica a dúvida se é por medo, cegueira ideológica ou adoração. Não importa se é um ex-presidente ou um ex-deputado ou uma pessoa comum. O STF deve estar sempre a serviço da Constituição!

É lamentável que situações como essa ocorram em nosso país, porque diz muito sobre o nosso passado e, infelizmente, sobre o nosso futuro. Posicionando-se assim contra um caso tão claro, o Brasil terá sucesso no combate à corrupção? Como brasileiro, sinto aquele aperto no coração digno de quando temos um sentimento profundo. No caso, o sentimento é um misto de tristeza, frustração e revolta.

Antonio Tuccilio, presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.