Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Depressão é uma doença cada vez mais comum. Tive a inspiração de partilhar com vocês a história de uma paciente que superou a depressão com tratamento clínico, auxílio do psicólogo e espiritualidade.

Uma senhora me procurou no consultório depois de fazer os exames e percebi a necessidade de fazer uma cirurgia, quando falei para ela, revoltou-se dizendo: por que Deus permitiu? Falei para ela: “a senhora fumou a vida inteira, está gorda e estressada e acha que a culpa é de Deus? A senhora tem que louvar a Deus por ter acesso ao médico e por ter condições de fazer a cirurgia.”

Você não pode deixar a depressão dominar você. Precisa estar atento à doença, principalmente se você tem uma tendência genética.

Todo mundo quer viver até a velhice, mas precisa lembrar que à medida em que envelhecemos vamos perdendo amigos, autonomia, renda financeira, saúde.

O homem da caverna tinha duas preocupações: ou caçava ou era caçado e isso é estressante. Hoje isso acontece conosco: vivemos preocupados com estresse, acabamos esquecendo onde colocamos as coisas. É triste ficar velho, mas envelhecer com Deus é uma forma de transcender todos os problemas da velhice.

Deus nos criou saudáveis, temos dentro de nós mecanismos de cura. Somos responsáveis por nossas doenças, por exemplo: a obesidade vem por uma alimentação errada, pressão alta é fruto de gordura, sal, alimentos industrializados. Será que é Deus o culpado da sua doença?

A menopausa é triste, é o final do ciclo da reprodução da mulher. E mexe com o psicológico feminino. Mexe com a libido dela e geralmente, durante esse período, a mulher tem dor durante a relação sexual. São perdas que temos durante o envelhecimento. O homem tem que entender a mulher.

Depois da menopausa, às vezes vem a depressão, porque além de perder o ciclo de reprodução, ela perde formas. E ainda tem o fenômeno do “ninho vazio”, pois as mulheres vivem geralmente em prol da sua cria, então de repente vê os filhos indo embora.

Eu tive a graça de acompanhar o Padre Léo e pude conhecer de perto a mãe dele, dona Nazaré, uma senhora que soube envelhecer com Deus. Desde o momento em que pude acompanhar o Padre Léo no início da doença até a morte, Dona Nazaré estava ao lado do filho sempre rezando o terço, sem reclamar. Isso é envelhecer com Deus. Ela sabia que o filho estava mal, que morreria, mas como Maria aos pés da cruz, ficou ali, vendo seu filho padecer.

E durante esse tempo nunca vi o Padre Léo reclamar do sofrimento, nunca o vi questionar Deus ou blasfemar. Ele sentia tanta dor, que às vezes eu pedia para anestesiá-lo. Peça a intercessão do Padre Léo!

Dona Nazaré não teve depressão. Padre Léo também não. Ele suportou a dor em Deus. Dona Nazaré perdeu outro filho e mesmo assim está firme, porque envelheceu ao lado de Deus.

Depressão tem que ser cuidada e tratada por psiquiatra, por psicólogo. Não fique procurando tratamento alternativo. As pessoas também não podem abandonar o tratamento. Mas na depressão também não podemos perder a visão espiritual da doença.

As pessoas depressivas geralmente trazem um histórico de culpa, ansiedade e melancolia. E o sacramento da confissão pode trazer o alívio para a pessoa que se sente culpada. A única coisa que cura a culpa é a graça de Deus, a confissão!

Não vos inquieteis, entregai ao Senhor vossas preocupações! É difícil, mas entregando tudo a Deus. Confie-se a Deus!

E para combater a melancolia é a alegria do Senhor, não uma alegria passageira, uma alegria de carnaval, mas é a alegria de ser preenchido por Deus.

A depressão deve ser tratada com tratamento psicológico, mas com amor e com Jesus. E peço: reze as “cinco pedrinhas” que você vai derrotar o Golias da depressão! As cinco pedrinhas são: oração do santo terço, missa, jejum, a leitura da Palavra de Deus e a confissão.

Dr. Roque Savioli - Cardiologista e escritor de vários livros pela Editora Canção Nova

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.