Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Artigos e Opinião 13/03/2019  08h07

Tela dobrável

Escrever um manual de jornalismo apresenta, de cara, dois desafios: os limites éticos e o transporte do conteúdo até o público. Este sofre uma revolução tão profunda que só pode  ser comparada quando um velhinho de Mainz, na atual Alemanha, mandou, com sua prensa de tipos móveis, os copistas para o museu. Uma luminura levava  meses para ser copiada e a prensa do Gutenberg abreviou para  poucos dias. Os exemplares que eram produzidos por unidades passaram a ser impressos às centenas e se o comprador pedisse mais cópias era só por mais tinta nos tipos. Nem bem se avaliou o que a tecnologia digital já mudou para o transporte de informação e notícia e já se avizinha a chegada da velocidade 5G. Certamente ela vai completar o processo disruptivo que está em acelerado avanço. Contudo a questão é o que vai acontecer com a velha tecnologia do transmissor e antena que ainda carregam veículos tradicionais como o rádio e a televisão? Elas ainda adotam uma  estrada de mão única e que cada aparelho está ligado unilateralmente aos sinais que são transmitidos. A tecnologia 5 G vai completar o processo que tudo estará conectado via internet, ou seja a materialização da “internet das coisas.” Com isso vai ser preciso reavaliar como a programação do rádio e da tevê continuarão a ser entregues ao público e quem vai bancar a mudança.

A internacionalização da comunicação chega ao apogeu com as novas tecnologias. Ela  começou a se concretizar ainda na época de Ciro, o unificador e construtor do império persa. Muitos povos sob um mesmo imperium, um sistema de correios capaz de levar e trazer relatórios com ordens e avaliação dos governadores, sátrapas, indicados pelo poder central. Acentuou-se no império grego com a simplificação  da escrita, o que facilitou a comunicação entre diversas cidades-estado. No império romano o aperfeiçoamento da redação de leis acelerou o sistema administrativo com melhor comunicação. O império islâmico foi responsável pela tradução e universalização do conhecimento de filósofos e pensadores da Eurasia. Graça a isso não se perdeu. A característica comum dessas iniciativas foi a sobrevivência de línguas, tradições e religiões locais, convivendo com a língua, tradição e religião do império. Em alguns casos pagava-se um imposto e podia-se manter os costumes locais. Contudo nada foi tão eficaz  como o legado do imenso império espanhol durante a conquista da América e parte do globo. As novas tecnologias são universais, e o conteúdo também. Os espaços informativos nessas plataformas são de acesso universal. Há um novo “imperium”, o dos bit e bytes. Suas consequências ainda não foram totalmente avaliadas.

Como o jornalismo vai transitar nesse novo “imperium” que está disponível a população de todo o planeta e já tem conectado uns 4 bilhões de seres humanos.? Certamente não vai ser no sistema linear que  sustentou os meios eletrônicos por mais de 70 anos. Hoje as empresas de tecnologia são o motor do carro do  conteúdo e responsáveis pela difusão também do jornalismo em todo o globo. Mas quem disse que o motor não pode assumir o controle do veículo e se tornar ao mesmo tempo difusor e produtor de conteúdo? Já há sinais disso uma vez que o custo de difundir conteúdo via IP é mais barato e contém a interatividade, a dupla ou pluri mão de direção. Este foi o desafio que  o jornalista Udo Simons e eu tivemos ao redigir para a editora Alta Books, o Jornalismo para a coleção Para Leigos e que é lançada neste mês. Uma parte da prática do jornalismo vem da experiência do Jornal da Record News, que há quase um ano está em multi plataforma e a televisão é apenas uma delas. Como todo o conteúdo da internet pode ser acessado via smart tv, smart phone, tablet, computador,, telas  dobráveis ou qualquer outro gadget na prática se pode assistir todo o conteúdo ao vivo, ou não, em qualquer lugar de Gaia. Quanto ao desafio ético fica para quando os filósofos nos concederem uma entrevista.

Heródoto Barbeiro é  editor-chefe e âncora do Jornal da Record News em multiplataforma - Facebook: facebook.com/herodotobarbeiro  - Twitter: twitter.com/hbarbeiro  - Instagram: instagram.com/h.barbeiro  - Youtube: youtube.com/herodotobarbeirooficial  - Site : herodoto.com.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.