Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 2021 o Marco Legal do Saneamento completa um ano. A expectativa do Governo Federal é alcançar a universalização dos serviços de saneamento básico até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenham acesso à água potável e 90% ao tratamento e à coleta de esgoto. É uma medida muito positiva. Milhares de brasileiros serão beneficiados. Mas sabia que alguns senadores foram contra a medida no ano passado?

Sérgio Petecão (PSD - AC), Randolfe Rodrigues (Rede - AP), Mecias de Jesus (Republicanos - RR), Paulo Rocha (PT - PA), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Weverton Rocha (PDT - MA), Jean-Paul Prates (PT - RN), Zenaide Maia (PROS - RN), Veneziano Vital do Rêgo (PSB - PB), Humberto Costa (PT - PE), Rogério Carvalho (PT - SE), Jacques Wagner (PT - BA), Paulo Paim (PT - RS). Esses são os 13 senadores que votaram contra a medida. Vale a pena ver de novo.

O Marco Legal do Saneamento permite que empresas privadas tenham mais liberdade em relação ao tema. Mas sejamos francos: são medidas que beneficiam o povo e que podem tirar milhares de pessoas de péssimas condições de vida. Mas alguns senadores parecem que não conseguem deixar as diferenças de lado em prol do Brasil.

Não podemos esquecer. Muitos desses nomes são conhecidos e ficaram ainda mais falados neste ano. É preciso ficar de olho.

Antonio Tuccilio, presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP) - analivia@textoassessoria.com.br

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.